Controladores de Elite: estudo mostra como algumas pessoas controlam HIV sem medicação

0
80
controladores de elite
Estudo mostra como algumas pessoas controlam HIV sem medicação - os controladores de elite - Foto - Pixabay

Como algumas pessoas conseguem controlar o HIV sem medicação? É que a publicação do estudo intitulado “Reservatórios virais distintos em indivíduos com controle espontâneo do HIV-1”, na revista  Nature, que chamou a atenção sobre os controladores de elite. Saiba hoje, aqui no blog SaúdeLab, mais sobre o estudo que mostra como algumas pessoas controlam HIV sem medicação.

Sem a ajuda de medicamentos anti-retrovirais (TARV), os controladores de elite mantêm o vírus da AIDS em níveis indetectáveis ​​no sangue, às vezes por muitos anos, embora ainda tenham genes do HIV entrelaçados em seus cromossomos. Conheça os bastidores da descoberta médica aqui no blog.

Veja mais: Chá para secar barriga: quais são os melhores?

O que revelou o estudo?

controladores de elite
Estudo mostra como algumas pessoas controlam HIV sem medicação – os controladores de elite – Foto – Pixabay

De acordo com a pesquisa publicada na revista científica Nature, nesses controladores naturais o vírus se integrou em partes do genoma celular onde não pode se reproduzir. Na maioria dos pacientes soropositivos não controladores, o tratamento eficaz ao longo da vida pode conter a proliferação do HIV, sem erradicar, a priori, os reservatórios virais ocultos.

Para explicar esse fenômeno, os pesquisadores compararam os genomas virais incorporados no DNA de células de 64 pessoas desses controladores não tratados com os de 41 pacientes em tratamento anti-retroviral.

Todos menos um dos 64 controladores de elite analisados ​​na nova pesquisa têm genomas de HIV abundantes e intactos, os chamados provírus, integrados em suas células. Mas, em comparação com as pessoas que precisam tomar TARVs, os controladores de elite têm muito mais provírus em regiões cromossômicas onde ocorre pouca atividade genética, concluiu o estudo.

Nesse estudo americano, os cientistas descobriram que, em controladores de elite, os genes do vírus são relegados a porções silenciadas do genoma celular, eliminando assim a capacidade de replicação do vírus. A descoberta reacende a esperança de uma cura funcional em outras categorias de pacientes, que somam cerca de 37 milhões em todo o mundo.

Os controladores de elite

Controladores de elite
Os controladores de elite não precisam de antirretrovirais para tratar o HIV. Foto: Ministério da Saúde.

Há muito se sabe que existe uma pequena minoria de pacientes infectados pelo HIV, que os especialistas chamam de controladores de elite, que desenvolvem uma forte reação imunológica à infecção e conseguem controlá-la sem medicamentos anti-retrovirais. Ou seja, o vírus não é mais detectável nos testes e, mesmo que tenha se integrado ao genoma das células, não se replica nem transmite.

Quais são os controladores de elite e diferentes da vasta maioria dos pacientes HIV-positivos? Para descobrir, pesquisadores dos EUA examinaram o genoma de milhões de células de pacientes em terapia anti-retroviral e de controladores de elite , em busca de provírus.

O que eles descobriram é que os genes do HIV em controladores de elite estão presentes em um número reduzido de cópias e estão embutidos em regiões silenciosas do genoma celular- aquelas que não codificam para proteínas, que têm uma função estrutural (como os centrômeros dos cromossomos) ou que são submetidas a modificações epigenéticas que reprimem sua transcrição.

Os provírus em controladores de elite estão intactos, então eles também têm o potencial de reacender a infecção, mas é improvável que sejam replicados pela maquinaria celular.

Saiba mais:  Contagem tem o maior índice de contaminados pela COVID-19 entre os jovens, mas mortes são de idosos

Os chamados controladores de elite são raros, mas a descoberta pode revolucionar os tratamentos conhecidos, e mostrar que em alguns casos alguns pacientes podem ter conseguido se curar sem tratamento.

Além disso, a descoberta traz esperança aos milhares de pacientes com HIV que precisam da TARV para sobreviver.

Gostou desta matéria? Acompanhe nossas redes sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Pinterest.

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here