Home Notícias Reajuste do plano de saúde: decreto, prorrogação, suspensão; confira

Reajuste do plano de saúde: decreto, prorrogação, suspensão; confira

Na última segunda-feira a Agência Nacional da Saúde Suplementar (ANS) anunciou o decreto de que o reajuste do plano de saúde seria suspenso. Contudo, a suspensão será cobrada retroativamente em 2021. O que essa prorrogação pode refletir para a população?

Hoje, o Saúdelab aborda o quanto a medida pode ser prejudicial para o cidadão, principalmente pelo fato de que a postergação da cobrança dos reajustes poderá se ilustrar em uma acumulação de gastos.

Continue lendo para entender como será feita essa suspensão, como serão as cobranças posteriores e outros detalhes importantes sobre o assunto.

Também veja: Contagem tem o maior índice de contaminados pela COVID-19 entre os jovens, mas mortes são de idosos

reajuste do plano de saúde
A cobrança dos planos de saúde após a retomada dos reajustes poderá sair cara ao cidadão segurado (Imagem: Idec)

Reajuste do plano de saúde: Como opera a suspensão?

A ANS anunciou que todos os reajustes sobre os planos de saúde particulares seriam suspensos até dezembro de 2020, podendo ser retomados em janeiro de 2021.

Essa suspensão é aplicável, aliás, inclusive sobre os planos de saúde cujo reajuste anual ou por alteração de faixa etária já tinha ocorrido.

Contudo, a ausência de cobrança dos valores correspondentes ao reajuste do plano de saúde não significa que eles deixarão de ser cobrados.

Em verdade, além do reajuste poder ser colocado em prática a partir de janeiro de 2021, aquele não pago entre setembro e dezembro deste ano foi prorrogado.

Ou seja, a suspensão ilustra um desconto momentâneo cujo valor será cobrado posteriormente.

Como será feita a cobrança do plano de saúde após a retomada dos reajustes?

Ao que tudo indica a partir de janeiro de 2021 a cobrança do plano de saúde corresponderá ao valor atual somado a uma parcela postergada e, também, ao reajuste já correspondente à mensalidade do mês.

Dessa maneira haverá adição à mensalidade de uma parcela postergada nesse momento e do real reajuste correspondente ao mês de cobrança futura.

Considere, assim: o valor do plano de saúde somado à porcentagem de reajuste do mês de cobrança (janeiro/2021) e àquele postergado (setembro a dezembro/2020).

Isso significa que a suspensão do reajuste do plano de saúde pode prejudicar ainda mais o cidadão que terá parcelas maiores pelo reajuste e pela postergação atual para quitar em 2021.

Confira ainda: Sarampo: campanha de vacinação para adultos é prorrogada em todo o país

Acompanhe, curta e compartilha!

Siga nossas redes sociais: Facebook, InstagramTwitter e Pinterest.

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Os mais lidos

Dados não aparecem no Cadastro Positivo do SPC e Serasa? Saiba o que fazer

A aprovação da inclusão automática e inicialmente obrigatória no Cadastro Positivo do SPC e Serasa, tem como intuito estimular um número maior de pessoas...

Como curar furúnculo rápido: entenda como você pode se livrar desse problema tão incômodo

Não há como se confundir. Todos nós somos capazes de reconhecer a forma dos furúnculos. No início eles são somente erupções vermelhas e doloridas...

Sacar o Bolsa Família no caixa eletrônico também é uma opção; saiba mais

Como sacar o Bolsa Família no caixa eletrônico - Segundo dados do Ministério da Cidadania, mais de 13,5 milhões de famílias de baixa renda...

Início da primavera e chuvas no Pantanal: a estação trará alívio para a região, menos para o Nordeste; entenda

O início da primavera no Hemisfério Sul se deu hoje (22/09) às 10:31 pelo horário de Brasília. O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) previu...