Home Notícias UFRJ cria teste rápido contra a Covid-19, até 20 vezes mais barato

UFRJ cria teste rápido contra a Covid-19, até 20 vezes mais barato

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) desenvolveu um teste contra a Covid-19 que pode ser até 20 vezes mais barato do que os outros disponíveis nas farmácias de todo o país.

Além de ser ainda mais eficaz, o teste mostrou ser capaz de captar anticorpos IgG (de longa duração) produzidos pelo corpo humano, com precisão, que chega a 100% após 20 dias do início dos sintomas.

Saiba também: Azitromicina é ineficaz contra a Covid-19; diz estudo brasileiro

Contudo o estudo, que ficou conhecido como S-UFRJ, idealizado em parceria com o Instituto de Biofísica e o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe), também é capaz de identificar anticorpos dez dias após os sintomas terem começado, mas, neste caso a precisão do método cai para 90%.

Entenda o porquê do preço baixo do teste do Covid-19

Quanto ao custo baixo do teste do Covid-19, os envolvidos na pesquisa afirmam que o baixo custo se deve ao valor irrisório dos insumos necessários para produzir o teste.

Uma das coordenadoras da pesquisa, e também professora da Coppe, Leda Castilho, explica a relação custo-benefício.

“Para tirar sangue da veia, você precisa ter uma estrutura laboratorial, operadores treinados da área da saúde e todo o material estéril, como a seringa e o tubo especial. Depois, tem que ter uma estrutura para separar o soro desse sangue. Já na nossa metodologia, a coleta é feita a partir de um furinho na ponta do dedo, e a amostra é embebida em um papel filtro, que, no limite, pode ser um filtro de café”, esclareceu.

Assim estima-se que o custo dos insumos necessários para o teste do Covid-19 não passa de R$2,00. Isso se considerada a saúde pública e organizações não governamentais com isenções tributárias. Portanto, estabelecimentos privados, também conseguirão fazer o teste gastando R$5,00.

Confira: Qual o papel do Programa Saúde da Família na Covid-19? a Fiocruz quer saber

Teste rápido S-UFRJ / Fonte: Reprodução da internet
Teste rápido S-UFRJ / Fonte: Reprodução da internet

Nesta esteira, Castilho também explica que, além do baixo custo, este teste do Covid-19 ajudará a manter sob controle os índices sorológicos e de transmissibilidade do vírus, em diversas regiões, de todo o país, sem maiores burocracias.

“O que a UFRJ oferece para a sociedade é um teste que pode ser feito na população ribeirinha do Amazonas, no meio do Cerrado ou no interior do sertão nordestino. É um teste que, além da alta confiabilidade e da simplicidade de coleta de amostra e processamento, tem um custo baixíssimo. O que permite assim, que mais testes sejam realizados em todo o país, com um custo  de pelo menos 20 vezes menos”, esclareceu.

Metodologia e Proteína S

Neste caso, a metodologia utilizada para realizar o teste do Covid-19 foi publicada cientificamente, pela UFRJ. E deve ser replicada por institutos de pesquisa, de todo o mundo.

Contudo, apesar de ser do tipo Elisa (ensaio de imunoabsorção enzimática), este teste pode ser realizado com apenas uma gota de sangue.

Vale ressaltar que a retirada do sangue na ponta do dedo, tem o custo bem menor do que colher o sangue de uma veia do braço com uma seringa.

Leia também: Plano para a distribuição da vacina contra a COVID-19 já foi anunciada pelo SES-MG

A vista disso, outro fator importante para o sucesso deste trabalho, foi a produção em laboratório da proteína S, também realizada pela UFRJ. Ela é uma das responsáveis pela estrutura tridimensional do novo coronavírus – SARS-CoV-2.

Portanto, o S-UFRJ, além de identificar anticorpos, é capaz de contabilizá-los, mesmo em pessoas que não tiveram sintomas.

Teste S-UFRJ / Fonte: Reprodução da internet
Teste S-UFRJ / Fonte: Reprodução da internet

Dessa maneira, há uma relação direta da Proteína S com a capacidade de neutralizar o novo Coronavírus, do corpo humano.

Em síntese, esta proteína forma os pequenos espinhos que o coronavírus utiliza para invadir as células. Portanto facilitando, assim, a desenvoltura do vírus da Covid-19 no corpo humano e a identificação do mesmo.

Por fim, de acordo com uma publicação na página do Coppe, os exames começarão a ser aplicados na Cidade Universitária. E só depois poderão ser ampliados para a população em geral.

Leia também: Vacina em spray: USP avalia versão para aplicação nasal contra Covid-19

Fonte: Coppe/RJ

Acompanhe mais nas redes sociais, compartilha!

Facebook, InstagramTwitter e Pinterest.

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

Avatar
Lina Obaid
Jornalista, graduada pela Unic (2016). Pós graduada em Marketing e Comunicação, pela Faipe (2019). E no momento, estudante de Direito pela Unifama (1° semestre)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Os mais lidos

Queimadas no Pantanal: saúde da população e economia prejudicada; entenda

As queimadas no Pantanal são uma grande preocupação nesse período do ano, ou melhor, nessa época da seca. É quando uma parte de todos...

Celulite: prevenção e tratamento; conheça novidades

A celulite afeta nove em cada dez mulheres e é um problema que incomoda muitas pessoas, principalmente as mulheres. Quando dieta, água e exercícios...

Caixa Tem vai liberar empréstimo de até R$ 300 e novos produtos

O aplicativo desenvolvido para repassar benefícios do governo vai ser ampliado a partir dos próximos meses. Além do auxílio emergencial e FGTS, o Caixa...

Como fazer slime de forma fácil e com segurança? Aprenda aqui

Um dos assuntos mais pesquisados na Internet nesses últimos tempos tem sido sobre como fazer slime. Com efeito, a brincadeira com essa "massinha" virou...