Home Notícias Alta nos preços em Belo Horizonte força pessoas a economizarem como podem

Alta nos preços em Belo Horizonte força pessoas a economizarem como podem

Prateleiras cheias nos supermercados e dispensas vazias nas casas dos belo-horizontinos

A safra está batendo o recorde em todo o Estado. Com isso, os cidadãos puderam notar que verduras, legumes e frutas tiveram uma redução na média de preços. Entretanto, os alimentos que ficam nas gôndolas nos supermercados tiveram um aumento considerável. Por conta disso, a alta nos preços em Belo Horizonte vem forçando as pessoas a buscarem alternativas para economizar nas compras.

Pesquisas de instituições ligadas ao mercado e comércio mineiro mostraram que existem três itens básicos para a alimentação do consumidor que estão bem acima do que poderia ser considerado “preço normal”: leite, soja e arroz. Segundo dados dessas pesquisas, tal ocorrência se dá especialmente por fatores que estão ligados ao cenário atual econômico e à produção dos itens.

Leia mais: Cervejaria Backer: MPMG apresenta denúncia e levanta o questionamento sobre esse tipo de intoxicação

Por exemplo, o arroz, de abril até agosto, teve seu preço elevado em cerca de 28%, tendo uma situação parecida com a carne: uma grande procura externa acabou diminuindo as ofertas domésticas da mercadoria. Além do mais, os valores das sacas com 50kg estão muito acima dos valores para referência determinados pela CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento). Demandas internacionais também justificam a média de aumento de 14% do óleo de soja. O grão é um destaque na exportação mineira, tendo sido estimulado pelo dólar disparado.

A alta nos preços em Belo Horizonte, em se tratando do leite, combina vários fatores como justificativa. Por exemplo, o efeito da seca na região Sul do Brasil reduziu a oferta, bem como a elevação cambial coibiu a importação. Assim, tudo somado às consequências negativas da pandemia gera o aumento exorbitante.

Belo-horizontinos devem encontrar alternativas para pagar menos nos mercados
Belo-horizontinos devem encontrar alternativas para pagar menos nos mercados (Imagem: Reprodução/Freepik)

Confira também: Dia Mundial da Saúde Sexual: o que a pandemia e os hormônios podem causar

Alta nos preços em Belo Horizonte: como economizar nas compras do supermercado?

Toda essa crise econômica, com boa parte da causa por conta da pandemia, reduziu bastante a renda dos brasileiros. A situação financeira de grande parte dos cidadãos está cada vez mais apertada, ainda mais com a alta nos preços praticados nos mercados nas últimas semanas.

Dessa forma, é sempre bom ficar atento aos gastos mínimos, mesmo essenciais, quando se vai fazer compras. Isso garantirá não permanecer no vermelho ou se afundar ainda mais nele. Afinal, mais de 70% das pessoas tiveram suas despesas do mercadinho com alimentos aumentadas nos últimos meses.

Ademais, o SaúdeLab está listando abaixo, 4 dicas para ajudar os consumidores a economizar com bebidas e alimentos. Muitos estão passando sufoco por não ter noção das rendas e dos gastos. Assim, é de extrema importância poupar sempre.  Confira!

Com a alta nos preços dos alimentos está cada vez mais difícil encher o carrinho
Com a alta nos preços dos alimentos está cada vez mais difícil encher o carrinho (Imagem: Reprodução/Freepik)

1.     Faça compras grandes

Com a alta dos preços em Belo Horizonte, uma das melhores dicas é comprar tudo de uma só vez. Dessa forma, pode ser mais vantajoso o benefício do que efetuar diversas comprinhas. Não é preciso lidar com variações de preços, bem como perda de dinheiro e tempo.

2.     Faça uma lista com todos os itens das compras

Relacionada com a dica acima, está a lista de compras. Veja o que é essencial, o que falta e  anote tudo. Assim, será possível ver o que é supérfluo ou não. Ah, uma boa recomendação é não fazer estoque extra, uma vez que compromete o orçamento se o produto estragar antes de ser usado.

3.     Pesquise os preços

É interessante considerar os valores dos supermercados da região. Alguns preços estão passíveis de variação considerável. Saber onde está mais barato ajudará a economizar nas compras.

Mas e a pandemia? Não se deve evitar sair? Sim, claro! Mas é possível pesquisar preços ficando de olho nos canais digitais, por exemplo. Há também appp’s de entrega que podem servir de ajuda na busca por valores melhores.

4.     Atente-se às promoções

Promoções são ótimas em qualquer tempo, seja de crise ou não. Vários supermercados possuem ofertas todos os dias, portanto, é bom se dirigir ao local quando a maior parte dos produtos ficará mais barata.

Com isso, tendo a alta nos preços em Belo Horizonte, vale a pena pesquisar na Internet, bem como em todas as plataformas digitais os valores mais baixos. Assim, ficará menos oneroso se dirigir ao supermercado.

Gostou desta matéria? Acompanhe nossas redes sociais: Facebook, Instagram, TwitterPinterest.

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

Avatar
Andreia Eliza de Souza
Redatora, amante de livros, artes e culinária. Apaixonada por redação publicitária e jornalística, trabalho na área há anos, me dedicando ao universo político e feminino.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Os mais lidos

Confiança dos brasileiros em vacinas cai; aponta estudo

Um estudo publicado no periódico Lancet em 10/08, mostrou que a confiança dos brasileiros nas vacinas cai a cada dia mais. Nos últimos anos,...

É possível negociar dívidas Caixa com até 90% de desconto; saiba como funciona

Negociar dívidas Caixa com até 90% de desconto - Em meio a um momento de crise econômica, acelerada pela pandemia de coronavírus no país,...

Todos que recebem Bolsa Família vão receber o auxílio emergencial de R$ 300? Entenda

Bolsa Família - No final de junho, o Governo Federal anunciou a prorrogação do auxílio emergencial para mais duas parcelas, as quais foram pagas...

Mindfulness: o que é, quais os seus benefícios e como praticá-la

O mindfulness é uma prática que se popularizou bastante nos últimos anos e cada vez mais tem ganhado muitos adeptos. Em um mundo como...