Medicamentos para tratar hipertensão podem causar depressão? Saiba

Alguns medicamentos utilizados na hipertensão podem potencializar a depressão

0
282
Medicamentos pressão alta e depressão / Fonte: Reprodução da internet
Medicamentos pressão alta e depressão / Fonte: Reprodução da internet

Uma pesquisa dinamarquesa mostrou recentemente que a hipertensão tem relação com o risco de depressão. No estudo, os pesquisadores usaram registros populacionais para investigar se os 41 anti-hipertensivos individuais mais usados estavam associados a um risco alterado de depressão.

No entanto, eles descobriram uma baixa relação à depressão, em quem toma continuamente medicamentos contra a hipertensão. Mas, por outro lado, os resultados foram maiores, em quem faz uso de diuréticos.

De todos os 41 itens estudados, apenas 9 mostraram-se inofensivos para pessoas hipertensas, que tendem a desenvolver depressão, são eles: enalapril, ramipril, anlodipino, verapamil (isolado), verapamil (associação), propranolol, atenolol, bisoprolol e carvedilol. Ou seja, embora haja relação entre medicamentos antidepressivos e contra hipertensão, a relação entre eles é minimamente invasiva ou problemática.

Leia também: Depressão na gravidez: especialistas estudam qual o impacto dessa condição

Aferindo pressão arterial / Fonte: MD Saúde
Aferindo pressão arterial / Fonte: MD Saúde

Números: Hipertensão x Depressão

De acordo com dados do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), publicados no site do Ministério da Saúde, cerca de 69% da população que mora nas capitais brasileiras tem hipertensão.

A maioria é composta por idosos com mais de 65 anos. Além destes, cerca de 49,5% de pessoas com idades entre 55 e 64 anos também afirmaram sofrer de hipertensão. Estes números foram levantados por telefone, ouvindo a 52.395 pessoas, todas maiores de 18 anos, entre fevereiro e dezembro de 2018.

Por outro lado, a Organização Mundial da Saúde (OMS), aponta que a depressão ocupa o quarto lugar entre as principais patologias humanas frequentes. Em todo o mundo, ela atinge a 300 mil pessoas, de todas as idades. E tem efeito adverso nos hipertensos. Ou seja, ela afeta o funcionamento e a qualidade de vida dos indivíduos.

Para diagnosticar e tratar a ambas as doenças, é preciso estar atento aos sinais que o corpo emite. Manter uma alimentação balanceada, praticar exercícios físicos regularmente além de exames periódicos.

Fonte: OMS / MS

Leia também: Como Aferir Pressão Arterial Corretamente?

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here