Maconha medicinal: medicamento à base de cannabis mostra eficácia contra epilepsia; saiba mais

O uso da cannabis em tratamentos vem se tornando mais comum

0
110
Maconha medicinal
Efeitos da maconha medicinal. Foto: Envato

O termo maconha medicinal se refere ao uso de toda a planta da maconha não processada, ou seus extratos básicos, para tratar certos sintomas de doenças e outros distúrbios. A cannabis é a planta que oriunda a maconha.

Primeiramente, é importante começar esclarecendo que o cultivo da planta continua sendo crime no Brasil, bem como seu uso recreacional, e que somente a planta está servindo como medicamento para alguns doenças e tratamentos, e uma deles é eficácia contra epilepsia. Acompanhe mais no SaúdeLab.

Leia tambémCanabidiol: SUS deverá oferta 02 opções com o princípio ativo; confira

Tratamento com cannabis

cannabis
Maconha medicinal: medicamento à base de cannabis mostra eficácia contra epilepsia; saiba mais Foto – Pixabay

Desde já, os derivados da planta cannabis, Cannabis sativa são usados ​​há muito tempo como um tratamento para muitas doenças, como anorexia e dor.

De antemão, alguns relatórios e pesquisas sugerem que os extratos de cannabis podem reduzir as convulsões.

É  porque a cannabis contém mais de 80 fito-canabinoides e, embora pouco se saiba sobre os potenciais efeitos terapêuticos da maioria dessas moléculas, dois compostos – tetrahidrocanabinol e canabidiol – chamaram a atenção com base em sua abundância na planta.

O tetrahidrocanabinol, o principal canabinoide psicoativo, demonstrou ter efeitos anticonvulsivantes e pró-convulsões em estudos de epilepsia em animais.

Ainda mais, porque o uso médico potencial de extratos de toda a planta de cannabis, particularmente em crianças com cérebro em desenvolvimento, é limitado pelas propriedades psicoativas e efeitos adversos associados ao uso de tetrahidrocanabinol a longo prazo.

Confira também: SUS oferecerá remédio à base de Cannabis e poderá beneficiar milhares de tratamentos; confira

O que é Epilepsia?

Em outras palavras, as epilepsias generalizadas  são o que as pessoas geralmente conhecem e são caracterizadas por ataques que começam em ambos os lados do cérebro.

Sendo assim, este tipo de epilepsia está associado a convulsões generalizadas, que fazem com que seu corpo se mova de forma incontrolável.

Além disso, você pode até perder a consciência. Outra forma pela qual a epilepsia generalizada pode se manifestar é por meio de ausências. Nesses casos, a pessoa está “em branco” olhando para o espaço. Da mesma forma, pode-se fazer movimentos repetitivos indefinidamente.

Qual o benefício que os canabinoides podem ter como remédio?

cannabis
Maconha medicinal: medicamento à base de cannabis mostra eficácia contra epilepsia; saiba mais Foto – Pixabay

Atualmente, os dois principais canabinoides da planta da maconha que são de interesse medicinal são o THC e o CBD.

Nesse sentido, o THC pode aumentar o apetite e reduzir as náuseas. Também pode reduzir a dor, a inflamação (inchaço e vermelhidão) e problemas de controle muscular.

Ao contrário de THC, CBD é um canabinoides que não cause uma alta, o que significa que não é a mente-alterando. Pode ser útil na redução da dor e inflamação e no controle de ataques epilépticos, e pode até ser usado para tratar doenças mentais e vícios.

Por isso, muitos pesquisadores, incluindo pesquisadores financiados pelo National Institutes of Health (NIH), continuam a explorar os usos potenciais de THC, CBD e outros canabinoides para fins terapêuticos.

Logo, os cientistas também estão realizando testes pré-clínicos e clínicos com maconha e seus extratos para tratar sintomas de doenças e outros distúrbios, como:

  • doenças que afetam o sistema imunológico, incluindo:
    • HIV Aids
    • esclerose múltipla (EM), que causa perda gradual do controle muscular
  • inflamação
  • dor
  • convulsões
  • transtornos de uso de drogas
  • problemas mentais

Portanto, é interessante sempre acompanhar os estudos médicos e o que a Anvisa aprova para tratamento.

Leia agora: Cannabis no tratamento de doenças; entenda como funciona e o andamento de pesquisas

Gostou desta matéria? Acompanhe nossas redes sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Pinterest.
Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here