Demência vascular x diabetes do tipo 2: conheça a relação que pode ser de alto risco

Pacientes diabéticos têm mais chances de sofrer este e outros tipos de demência, segundo pesquisadores internacionais

0
165
A demência vascular tem maiores chances de ocorrer em pacientes com diabetes do tipo 2
A demência vascular tem maiores chances de ocorrer em pacientes com diabetes do tipo 2 (Imagem: Reprodução/Público)

Uma equipe compostas por pesquisadores internacionais recentemente descobriu que o paciente que possui diabetes do tipo 2 tem muito mais risco de desenvolver a demência vascular, bem como outros tipos sérios de demência. Segundo as pesquisas, se houver uma comparação com os indivíduos saudáveis, os diabéticos têm cerca de 35% de chance a mais de sofrer do mal.

O importante estudo observacional definiu que, o risco da demência que não é vascular aumentou somente 8%. Assim, o risco da demência por conta do Alzheimer, ao que parece, foi diminuído para 8%.

Leia mais: Todo surdo é mudo? Entenda essa relação

A demência vascular e a diabetes do tipo 2 andam lado a lado faz tempo

A prevenção e o controle é uma das melhores maneiras de não arriscar o desenvolvimentos de doenças crônicas
A prevenção e o controle é uma das melhores maneiras de não arriscar o desenvolvimentos de doenças crônicas (Imagem: Reprodução/Pixabay)

Associar uma doença com a outra já faz parte de estudos internacionais há um bom tempo. Um bom exemplo são as informações apresentadas no encontro virtual anual EASD (European Association for the Study of Diabetes). O ser humano está vivendo mais por conta da tecnologia, bem como das inúmeras formas de prevenção e de tratamento. Com isso, o risco do desenvolvimento de outros tipos de doenças crônicas, tal como demência vascular aumenta.

Doenças modificáveis e não modificáveis

Cerca de terço dos casos pode ser associado a fatores modificáveis, como a diabetes do tipo 2. Isso corresponde a 3,2% dos eventos de demência. Mas, embora é sabido que existe a relação entre uma e outra, os pesquisadores não têm certeza do quanto essa associação pode ser explicada por fatores não modificáveis e modificáveis. O que se tem certeza é que demência e diabetes compartilham alguns fatores de risco, tais como tabagismo, obesidade, bem como sedentarismo.

Os pesquisadores, então, tomaram a observância do aumento dos riscos dessa doença crônica como um bom argumento em favor das medidas preventivas. Ter um estilo de vida saudável é um ótimo exemplo, atrelado ao fato de haver grande importância na prevenção, uma vez que a maioria das doenças que ocasionam a demência, não tem um tratamento satisfatório.

A demência pode se desenvolver em vários tipos
A demência pode se desenvolver em vários tipos (Imagem: Reprodução/Associação Alzheimer Portugal)

Confira também: Como a empregada doméstica deve retornar ao trabalho com segurança nessa pandemia? Entenda todas as medidas adotadas

É sempre bom ressaltar que fatores de riscos cardiovasculares – alguns como peso corporal e pressão arterial, eram possivelmente modificáveis – foram os responsáveis por 40% dos riscos da demência na diabetes do tipo 2. Assim, imagina-se que boa parte das demências poderiam ser diagnosticadas antecipadamente identificando os indivíduos com alto risco.

Mas, tais resultados observacionais. Portanto, é preciso ter cuidado ao usar as informações para qualquer recomendação. Por isso, se torna extremamente importante o controle médico da diabetes do tipo 2. Dessa forma, o profissional poderá monitorar de perto qualquer sinal da demência vascular ou de qualquer outro tipo.

Gostou desta matéria? Acompanhe nossas redes sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Pinterest.

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here