Câncer de mama: Saiba mais sobre a doença e os cuidados, com o médico ginecologista Aldo Luis Hota

0
212
Câncer de mama: Saiba mais sobre a doença e os cuidados, com o médico ginecologista Aldo Luis Hota / Acervo pessoal
Câncer de mama: Saiba mais sobre a doença e os cuidados, com o médico ginecologista Aldo Luis Hota / Acervo pessoal

O mês de Outubro é conhecido mundialmente pela campanha contra o câncer de mama. Que é o tipo que mais atinge homens e mulheres de todo o mundo. Para entender mais sobre o tema, o Saúdelab entrevistou o médico ginecologista e obstetra Aldo Luis Hota.

Saúdelab: O senhor poderia explicar aos nossos leitores qual a definição de “câncer de mama” ?

Dr. Aldo: O câncer é uma neoplasia. E neoplasia é uma formação nova de algum tecido, ou seja, é uma degeneração do tecido mamário, assim como por exemplo, o câncer de próstata. Séria degeneração maligna, então o câncer de mama é uma doença maligna.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer é a segunda principal causa de morte no mundo e foi responsável por 9,6 milhões de mortes em 2018 no Brasil.

Por outro lado, a nível global, uma em cada seis mortes são relacionadas à doença. E aproximadamente 70% das mortes por câncer ocorrem em países de baixa e média renda.

Leia também: Mulheres que venceram o câncer de mama: conheça histórias de superação

Identificação do câncer de mama

Saúdelab: Como podemos identificar o câncer de mama de maneira precoce?

Dr. Aldo: A identificação do câncer de mama da maneira precoce, é justamente através do autoexame. E essa é a finalidade da Campanha do Outubro Rosa, orientar os pacientes a fazer o autoexame de mama, para que se eles mesmos possam perceber qualquer alteração e já procurar um especialista.

Doutor Hota ainda complementa, explicando que a partir do autoexame, o profissional consegue apurar e solicitar exames confirmatórios, como ultrassonografia mamária, mamografia e biópsia, se necessário.

Leia também: Câncer de mama: Hipofracionamento é alternativa de tratamento ao diminuir número de sessões de radioterapia

Outubro Rosa / Foto: Catraca Livre
Outubro Rosa / Foto: Catraca Livre

Sintomas

Saúdelab: Quais os sinais e sintomas? Como se prevenir?

Dr. Aldo: Como sintomas, podem aparecer alguma alterações na pele da mama, como alguma retração, ou o efeito casca de laranja, por exemplo. Além disso, também surgem nódulos, com secreção escura e muita dor no local. 

Saúdelab: A qual especialidade médica as pessoas devem recorrer?

Dr. Aldo:  Elas devem procurar primeiro um ginecologista e caso haja necessidade, este profissional fará o encaminhamento a um mastologista ou oncologista. Lembrando que, o primeiro é especialista em estudo das glândulas mamárias, enquanto o segundo, se dedica a estudar tudo relacionado ao câncer. 

 

Outros fatores deste tipo de câncer

Saúdelab: É hereditário? 

Dr. Aldo:  Não que o câncer de mama seja hereditário mas sim um componente de predisposição genética. Então, pacientes cuja mãe, irmã, tia, ou avó materna tiveram câncer de mama, tendem a ter a doença também. E se existe uma certa predisposição genética, então têm que tomar mais cuidado.

Saúdelab: Mas, tem cura doutor?

Dr. Aldo: Sim, o câncer tem cura! Principalmente se for feito um diagnóstico precoce. Por isso, volto a ressaltar a relevância desta campanha mundial, que é o Outubro Rosa. E o montante de informação que ela traz para as pessoas. Nesse sentido, é muito importante que o paciente se toque e se examine, para conhecer ao próprio corpo e seus sinais.  

Entretanto, um outro fator importante ainda que desconhecido, ou sublimado é que homens também podem ter câncer de mama! Doutor Aldo explica que isso não é uma coisa tão rara assim, pois eles também possuem glândulas mamárias e devem fazer o autoexame e se cuidar, não só diante do câncer mamário, mas também com o  da próstata, a partir de determinada idade.

Leia mais: Outubro Rosa: as consequências da pandemia para as pacientes que estão em tratamento contra o câncer

Autoexame / Foto: Divulgação
Autoexame / Foto: Divulgação

Saúdelab: Diante de tudo que foi dito acima, com que idade então, as pessoas devem começar a se preocupar com este tipo de câncer? Por quê?

Dr. Aldo: Não existe uma idade para se preocupar, a gente tem que se conscientizar, principalmente no caso do câncer de mama que tem um certo fator genético. Além dos pacientes de risco (que tem alguém na família que está ou esteve com câncer de mama), a partir dos 40 anos é sempre importante redobrar a atenção. 

Amamentação, autoestima e outros pontos

Saúdelab: Esta patologia atrapalha a mulher que está amamentando?

Dr. Aldo: O câncer pode atrapalhar a mulher que esteja amamentando, inclusive o diagnóstico pode se tornar um pouco mais difícil, porque às vezes a mama vai estar bastante engurgitada (cheia de leite). Agora, se ela já tiver feito algum tipo de cirurgia, como uma mastectomia (retirada de mamas) , por exemplo, isso pode influenciar na amamentação ou na lactação. A mesma coisa pode acontecer se ela tiver feito um tratamento com quimioterapia ou radioterapia. Mas, vale reforçar que a amamentação é um fator de proteção contra o câncer de mama. Então, assim as pacientes que têm ou que pretende ter filhos, sempre são orientadas a estimular a amamentação natural.

Por fim, Dr. Aldo Luis orienta que os amigos e familiares sejam solidários e apoiem aos enfermos. Pois, assim, saber que tem pessoas que estão ao lado apoiando e dando amor acaba estimulando o tratamento precoce. Evitando assim, futuros problemas. Partilhe cada momento e cada vitória com seus entes com câncer! Isso é de suma importância.

Continue lendo… Você sabia que amamentação e a prevenção do câncer de mama tem tudo a ver? Entenda

Gostou desta matéria? Acompanhe as nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter Pinterest.

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here