Só tem um tipo de câncer de mama? Descubra agora e previna-se

Conhecer os tipos de câncer das mamas é um fator importante para o tratamento

0
222
Câncer de mama
Só tem um tipo de câncer de mama? Descubra agora e previna-se / Reprodução

Muito tem se falado em câncer de mama e na sua prevenção, na campanha do Outubro Rosa. Mas, uma informação pouco divulgada é que mesmo o câncer sendo localizado na mama, ele possui vários tipos.

A princípio, cada tipo de câncer de mama é determinado pelas células específicas da mama afetada. E o tipo mais comum, são os carcinomas – tumores que começam nas células epiteliais que revestem órgãos e tecidos do corpo.

Portanto, quando os carcinomas são formados na mama, são denominados de adeno carcinoma. Este tipo de câncer de mama começa nas células de um ducto mamário ou nas glândulas produtoras de leite (lóbulos).

Continue lendo: Câncer de mama: Saiba mais sobre a doença e os cuidados, com o médico ginecologista Aldo Luis Hota

Tipos mais comuns de câncer de mama

câncer de mama
Outubro, mês de campanha preventiva / Foto: Divulgação

As principais classificações da doença são:

  • Carcinoma ductal in situ (DCIS)
  • Invasivo (ou infiltrante)
  • Triplo negativo
  • Inflamatório

O DCIS, intraductal é considerado não invasivo ou pré-invasivo. Ele representa entre 70 e 80% de todos os cânceres mamários. E começa no ducto de leite e não cresce no restante do tecido mamário.

Por outro lado, o infiltrante, por exemplo, refere-se a qualquer tipo de câncer de mama que se disseminou no tecido mamário circundante.

Outros tipos cancerianos

Além destes citados acima, existe outros cânceres agressivos e com características especiais. Apesar de serem menos comuns, eles podem ser mais graves do que os demais. Um exemplo disso é o ‘triplo negativo’, que é muito difícil de ser tratado e representa cerca de 15% dos cânceres.

Ainda nesse sentido, há o câncer de mama inflamatório é um tipo raro e invasivo, que representa de 1 a 5% dos cânceres de mama.

Como saber se o câncer de mama está no início?

Existem vários sinais e sintomas da doença. O início é marcado pelo aparecimento de um nódulo ou uma massa. Normalmente, estas alterações são indolores, sólidas e com bordas irregulares.

Outros sintomas mais comuns, que podem ocorrer, durante a fase média ou avançada da enfermidade, são:

  • Inchaço ou eritema (vermelhidão) na pele.
  • Edema (inchaço) da pele toda ou parte de uma mama (mesmo que não se sinta um nódulo).
  • Nódulo único endurecido.
  • Irritação ou abaulamento de uma parte da mama.
  • Dor na mama ou mamilo.
  • Inversão do mamilo.
  • Espessamento ou retração da pele ou do mamilo.
  • Secreção sanguinolenta ou serosa pelos mamilos.
  • Linfonodos aumentados.
Prevenir ainda é o melhor / Foto: Divulgação
Prevenir ainda é o melhor / Foto: Divulgação

Canal Ligue Câncer

Por isso, é importante que a qualquer alteração percebida na mama, o médico ou profissional especializado seja consultado.

Desta forma, para dar suporte aos pacientes diagnosticados, o Programa Nacional de Apoio ao Paciente com Câncer, do Instituto OncoGuia, conta com atendimento especializado e personalizado focado, prioritariamente, no esclarecimento de dúvidas relacionadas a qualidade de vida e direitos dos pacientes.

As linhas diretas do Ligue Câncer estarão disponíveis, durante todos os dias do ano, para que os diagnosticados possam tirar suas dúvidas. Os meios de contato podem ser:

  • Ligar gratuitamente, de telefone fixo, para 0800 773 1666
  • Mandar um e-mail com sua dúvida pelo contato do portal
  • Mandar uma mensagem com sua dúvida pelo Facebook (será necessário deixar também o contato pelo telefone)

Afinal, o interesse do Instituto é que, cada vez mais pessoas saibam informações relevantes, para então identificar e tratar o câncer, o mais precocemente possível.

E mesmo que o auto exame das mamas, muitas vezes, não garanta o êxito desejado na detecção de nódulos, o toque das mamas continua sendo necessário.

Fonte: OncoGuia

Gostou desta matéria? Acompanhe as nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter e Pinterest.

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here