Sintomas de depressão têm maior risco de causar derrame, aponta estudo

Os médicos precisam reconhecer o risco de derrame por causas depressivas, o índice é alto, diz estudo

0
241
Derrame
Sintomas de depressão têm maior risco de causar derrame, aponta estudo / Foto Pebmed

Uma pesquisa da Universidade do Alabama em Birmingham (UAB), sobre derrame ou Acidente Vascular Cerebral (AVC) mostrou que indivíduos com múltiplos sintomas de depressão são mais suscetíveis a sofrer um ataque.

O estudo avaliou 9.529 pessoas negras e outras 14.516 brancas sem AVC, todos com 45 anos de idade ou mais. Com esta setorização específica, sua intenção final era examinar os riscos associados às disparidades raciais e regionais, relacionados ao derrame.

Nesse sentido, é a maneira como a depressão pode ajudar a explicar, o aumento do risco que, as populações negras têm tido de derrame, especialmente no sul dos Estados Unidos.

De acordo com a autora do levantamento, Doutora, Ph.D e Professora do Departamento de Epidemiologia da Escola de Saúde Pública da UAB, o derrame pode ter vários fatores de risco e que são agravados potencialmente, pela depressão.

“Hipertensão, diabetes e doenças cardíacas fazem parte deste grupo. Mas estamos começando a entender que também existem fatores não tradicionais, como é o caso da depressão, que necessitam ser observados e dialogados”, frisou.

Leia também: UFMT descobre que uso excessivo do Instagram pode agravar transtornos mentais

derrame
Pessoas idosas têm mais probabilidade de um derrame/ Foto: Divulgação

Como identificar os sintomas de um derrame?

No entanto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que o sintoma mais comum de um derrame é a fraqueza repentina no rosto, braço ou perna, quase sempre em apenas um lado do corpo.

Por conseguinte, a Sociedade Brasileira de Neurologia – SBN, orienta para alguns sinais de alerta, que podem indicar um possível derrame. Que podem ser:

  • Paralisação no rosto: Uma parte do rosto pode parecer “pendurada”. O paciente pode não sorrir, ou a boca e o olho podem parecer flácidos.
  • Fraqueza nos braços: Uma pessoa que está sofrendo um AVC pode não ser capaz de levantar os dois braços e mantê-los suspensos. Ela pode, por exemplo, sentir-se fraca ao levantar um copo. Outro sinal de alerta é a dormência no braço.
  • Dificuldade na fala: O paciente pode perceber sua fala lenta, articular mal as palavras ou dizer coisas confusas e incoerentes. Algumas pessoas podem ficar totalmente incapazes de falar, apesar de estarem acordadas.

Além disso, existem outros sintomas que também precisam de atenção, como mal súbito; dificuldade repentina em andar; tonturas; perda de equilíbrio ou falta de coordenação. Além de muita dor de cabeça repentina e severa; e confusão ou problemas de percepção.

Veja mais: Teste promete detecção da doença de Alzheimer pela saliva

Depressão
A depressão e o derrame podem ser prevenidos (Fonte: Pxhere)

Como identificar os sintomas  da depressão

Os sinais depressão são diversos, mas entre estes podem ser destacados os seguintes: sono extremo, angústia, desinteresse acentuado pelos prazeres de outrora, perda da libido, angústia, choro fácil e dor física acentuada e generalizada na cabeça, costas, coluna etc.

Ao reconhecê-los uma atitude importante é buscar ajuda profissional para tratamento precoce.

Os tratamentos percorrem pela medicina convencional e Terapias alternativas, também chamadas de Complementares. A associação de medicamentos antidepressivos e as práticas holísticas, certamente irão auxiliar na melhora do quadro. E essa afirmativa compreende a opinião do senso comum e, ainda, dos especialista no assunto, ou seja, Psicólogos e Psiquiatras.

Depressão
Aliviar a tensão e relaxar faz bem e trata depressão (Fonte Pxhere)

Ações para tratar e prevenir

A partir do momento que se reconhece os sintomas, seja a própria pessoa, familiares ou amigos próximos, buscar socorro imediato. E esse é o primeiro passo, para então iniciar o processo de reequilíbrio emocional, físico e mental. O Psicólogo irá orientar, apoiar e facilitar o tratamento.

Adotar práticas mais saudáveis e se permitir estar passando por essa fase, irá trazer trazer alívio mental. Aliás, pode alternar atividades de trabalho e lazer, adotar exercícios diários e frequentes, mesmo que seja um pequena caminhada de início; trazer a mente  aquilo que dá esperança e se aceitar.

Resultados finais

Em síntese, Howard avaliou que, os médicos precisam reconhecer o risco de derrame por causas depressivas, o índice é alto. E disse ainda que “as perguntas padrão feitas no tópico encontro médico / paciente, precisam ser atualizadas, para incluir perguntas sobre sintomas depressivos e saúde mental, em geral”.

Leia também: Incontinência urinária: a fisioterapeuta Renatta Tavares dialoga sobre as causas e tratamentos

Fonte: News medical

Gostou desta matéria? Acompanhe as nossas redes sociais: Facebook, InstagramTwitter e Pinterest.

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here