Estado febril e febre: descubra como diferenciá-los e saiba mais sobre o assunto

0
161
Estado febril e febre: descubra como diferenciá-los e saiba mais sobre o assunto (Fonte: Freepik)

Seja em crianças ou em adultos, a febre é algo que costuma preocupar as pessoas. Hoje, 05.11, saiba que ela  surge normalmente como um aumento da temperatura corporal, muitas vezes acompanhada por calafrios e sensação de mal estar e, é um mecanismo de defesa do corpo. 

Ou seja: se a febre chegou, significa que suas células estão trabalhando para combater alguma coisa prejudicial ao seu organismo, como vírus e bactérias. 

É por isso que, em alguns casos, ela é um indicativo de doenças e infecções que precisam de tratamento. 

Porém, é muito comum ter dúvidas quanto a essa reação do corpo: afinal, como identificar se está com febre ou em estado febril? Quando saber se é algo grave? O que fazer em casos urgentes? 

Febre e stado febril
Como diferenciar dados na temperatura corporal (Imagem: Divulgação internet)

Se esses questionamentos já passaram pela sua cabeça, não se preocupe, porque nessa matéria nós temos as respostas para todas as dúvidas mais comuns sobre febre. Confira!

Qual a diferença entre febre e estado febril?

Normalmente, a temperatura do corpo humano é de, em média, de 36ºC a 37ºC. Isso acontece porque existe um equilíbrio entre os órgãos que estão constantemente perdendo calor, como a pele, enquanto há aqueles que produzem o calor durante as atividades que realizam.

Quando essa temperatura aumenta, ficando entre 37,3ºC e 37,8ºC, ocorre o que conhecemos como estado febril. Nesse caso, é preciso ficar de olho no termômetro para checar se vai retornar ao estado normal ou evoluir para a febre, que é quando a elevação ultrapassa os 37,8ºC.

Quando é urgente?

Como a febre pode significar desde algo simples até doenças que precisam de tratamento específico, há algumas situações que exigem maior atenção, pois é preciso tratar o problema que a está causando. Geralmente, em casos de febre acima de 39ºC, é importante buscar ajuda médica. 

Também é preciso tomar cuidado quando ela surgir acompanhada de outros sintomas, como dor de cabeça, vômitos, incômodo na região da nuca, dificuldade para respirar e dor abdominal. 

Além disso, quando a febre ou o estado febril surgir em bebês, a atenção deve ser redobrada, já que o aumento repentino de temperatura pode causar convulsões.

Recém-nascidos ou menores de três meses de idade já devem ser levados ao hospital quando a temperatura estiver acima de 37,5ºC e, no caso de bebês acima de três meses, é importante ir ao médico sempre que a febre estiver alta e acompanhada de choro persistente.

A febre é sempre sinal de infecção?

Por ser um sintoma relacionada à ação dos órgãos do corpo, a febre nem sempre representa uma infecção ou uma doença grave. Em alguns casos, ela pode significar apenas que o organismo está evitando que algum agente cause um processo inflamatório. 

Febre na criança: o que pode ser?

Há diversas razões para uma criança ter febre. Na maioria das vezes, é recomendado o uso de um antipirético para abaixar a temperatura e é preciso analisar outros sintomas para que o diagnóstico correto seja feito.

A gripe é uma das causas mais comuns de febre e estado febril em crianças, pois o vírus afeta o sistema respiratório e acaba causando os tão conhecidos sintomas gripais, como tosse, coriza e espirros. 

Criança com febre
Criança com febre requer atenção constante (Fonte: Pxhere)

Assim, ao identificar o causador do problema, o corpo eleva a temperatura e surge a febre. 

Outro motivo frequente para febres na infância é a famosa “virose”, que se trata, na maioria das vezes, de uma infecção gástrica causada por vírus. Geralmente, alguns sintomas que acompanham a febre nestes casos, como vômito e diarréia.

Veja a seguir mais alguns dos principais causadores de febres em crianças:

  • Amigdalite;
  • Sarampo;
  • Catapora;
  • Dengue;
  • Laringite.

Febre no idoso é preocupante?

Assim como as crianças, os idosos normalmente possuem um sistema imunológico mais fraco que os adultos. Sabendo disso, a febre em idosos exige atenção especial, principalmente porque costuma ser mais difícil de atingir altas temperaturas e, dessa forma, se torna mais difícil de identificar. 

Além disso, há casos em que a febre em um idoso é indicativo de doenças respiratórias, como pneumonia e formas mais intensas de gripe.

Existe febre emocional?

Você certamente já ouviu falar de “febre emocional”, principalmente quando a pessoa não apresenta nenhum outro sintoma. Porém, será que isso realmente existe? A resposta é sim!  

O fato é que, diante de situações que causem um grande abalo emocional, como estresse, o cérebro gera comandos para que haja o aumento de temperatura.

Como você pode perceber, existem vários fatores que podem causar febres e estado febril. Portanto, é sempre importante ficar atento aos sinais dados pelo corpo e, claro, manter-se informado sobre sua saúde com as dicas que trazemos aqui no SaúdeLab.

Gostou de saber mais sobre esse assunto? Então, acompanhe as nossas redes sociais e fique por dentro de todas as novidades no mundo da saúde!

Estamos no Facebook, no Instagram, no Twitter e no Pinterest.

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here