Coronavac chega ao Brasil em semana de aumento de casos de Covid-19

O Brasil registrou 754 novas mortes causadas pela Covid-19 nas últimas 24 horas, o que aumenta a expectativa pela vacina

0
157
Sobre o coronavac, João Dória afirma:
Coronavac chega ao Brasil em semana de aumento de casos de Covid-19 (Governo de São Paulo/Divulgação)

O primeiro lote da vacina Coronavac chega ao Brasil neste sábado (21), na mesma semana que o Ministério da Saúde anunciou o aumento de casos de contaminação e óbitos por Covid-19 em várias regiões do Brasil.

O Instituto Butantan vai receber o primeiro lote da vacina, 120 mil doses, produzida em parceria com o laboratório chinês Sinovac, segundo pronunciamento do governador do Estado de São Paulo, João Dória.

Leia também: Filtro solar: por que devemos usá-lo até em dias nublados e em ambientes fechados?

“Depois nós produziremos aqui, no próprio Butantan, para os brasileiros de São Paulo e brasileiros de todo o país, se o Ministério da Saúde entender, como deveria, que a vacina é para todos. Aliás, essa é a nossa defesa”, afirmou.

A Coronavac é segura?

Estudos clínicos comprovam segurança da Coronavac, segundo o Ministério da Saúde, afinal 94% dos 50 mil voluntários testados na China não apresentaram sintomas.

vacina da Covid-19
Vacina da Covid-19 custará mais de R$ 100 reais e será bancada pelo SUS (Imagem: Catraca Livre)

Nesse sentido, Dória afirma ainda que a vacina tem a mesma tecnologia usada em outras bem-sucedidas, como as do sarampo e poliomielite, por exemplo. “O Butantan é o principal produtor de soros e vacinas do país e tem experiência reconhecida em todo o mundo”, garante o governador.

A revista científica Lancet Infectious Diseases, publicou igualmente, que a vacina é segura e tem capacidade de produzir resposta imune no organismo 28 dias após sua aplicação em 97% dos casos.

A vacinação contra o coronavírus começa a ser realidade (Imagem: Freepik)

Números da pandemia

O Brasil registrou 754 novas mortes por Covid-19 nas últimas 24h, atingindo um total de 167.497 óbitos provocados pela doença. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa sobre o coronavírus.

Os números do consórcio indicam que Centro-Oeste (63%), Sudeste (77%) e Sul (53%) são as três regiões que apresentaram aceleração na média diária de mortes. O Nordeste (-7%) e o Norte (3%) permaneceram estáveis.

A média diária de 584 mortes nos últimos sete dias representa uma tendência de alta de 49% na variação de 14 dias atrás.

De acordo com a Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed), a procura por exames para detecção da Covid-19 aumentou 30% nos últimos 15 dias. Já o percentual de resultados positivos aumentou 25% no mesmo período.

Coronavac Daniel Schludi (Unsplash)
Coronavac teve excelentes índices de eficácia na China (Foto: Daniel Schludi) (Unsplash)

Como funciona a Coronavac

Em primeiro lugar, saiba que a CoronaVac é uma vacina produzida com vírus inativados do novo coronavírus (Sars-CoV-2) para inoculação em humanos. E com a aplicação de duas doses, a expectativa é que o sistema imunológico passe a produzir anticorpos contra o agente causador da COVID-19.

Assim, coordenado pelo Instituto Butantan, os testes envolvem 13 mil profissionais de saúde em 16 centros de pesquisa de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

É fato que até o momento, mais de 10 mil pessoas já receberam ao menos uma das duas doses da vacina ou placebo.

Tendo em vista, que se a vacina for aprovada, Sinovac e Butantan vão firmar acordo de transferência de tecnologia para produção em escala industrial, bem como o fornecimento gratuito à população por meio do SUS (Sistema Único de Saúde).

As fases 1 e 2 reuniram 744 voluntários na China, com idades entre 18 e 59 anos. Os dados mostram que as reações adversas foram leves e nenhum efeito adverso sério relacionado à vacina foi identificado. A reação mais comum foi dor no local da aplicação.

Leia também: Seguir um padrão de horários das refeições é importante? Saiba mais aqui

Gostou desse conteúdo? Então, nos acompanhe também nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram e Pinterest

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here