Aposentadoria compulsória como punição? Entenda isso

Saiba mais sobre essa forma de afastamento do trabalhador

320
aposentadoria compulsória como punição
Entenda como alguns servidores públicos podem ser punidos por erros nas atividades laborais por meio da aposentadoria. (Imagem: Tecnoblog)

A aposentadoria compulsória como punição é uma das formas de afastamento do trabalhador de suas atividades de forma definitiva. Nesse caso, contudo, é garantido o pagamento de valores mensais, uma vez que o empregado passa a ser considerado como aposentado.

Por outro lado, esse tipo de aposentadoria não é aplicável sobre todos os tipos de contrato, tendo aplicação bem limitada. Também, deve respeitar o preenchimento de alguns requisitos para poder ser colocada em prática.

Dessa maneira, continue lendo para entender de uma vez o que é a compulsoriedade da aposentadoria, quando ela se aplica, suas consequências e requisitos.

Leia também: Novas regras do auxílio emergencial: como fica o pagamento para mães solteiras?

Aposentadoria compulsória como punição: Entenda esse tipo de afastamento

Aposentadoria compulsória como punição
Aposentadoria compulsória como punição

A compulsoriedade desse tipo de aposentadoria se ilustra pelo afastamento do trabalhador e concessão da condição de aposentado, sem que para isso ele tenha que requeri-la.

Ainda que a própria aplicação da aposentadoria com viés compulsório já seja bem limitada, sua utilização para fins de punição é ainda mais restrita.

Abaixo, conheça todas as informações sobre a aposentadoria compulsória como punição e por idade.

O que é aposentadoria compulsória?

É o afastamento do trabalhador das atividades laborais e seu enquadramento na condição de aposentado, de forma que passa a receber valores da previdência. Ela independe da vontade e manifestação do empregado.

A quem se aplica a aposentadoria compulsória?

Embora a maioria das pessoas acredite que ela seja exclusiva aos servidores públicos (municipais, estaduais e federais, bem como de autarquias e outras empresas de caráter público), a aposentadoria que se vale da compulsoriedade também pode ser aplicada sobre a relação privada de emprego.

Na maioria dos casos ela ocorre para afastar empregado que já atingiu a idade para se aposentar, porém permanece trabalhando. Nesses casos é o próprio empregador (privado ou público) quem encaminha o pedido previdenciário.

Porém, como veremos abaixo, ela é igualmente aplicada para fins de punição.

Quando esse tipo de aposentadoria pode ser aplicada?

A aposentadoria compulsória pode ser por punição ou idade, a saber:

  • Por idade: para servidores públicos federais, estaduais e municipais com 75 anos, demais servidores com 70 anos e, ainda, trabalhadores da esfera privada a partir de 65 anos (mulheres) e 70 anos (homens);
  • Por punição: apenas para servidores públicos de qualquer esfera mediante erro grotesco ou grave de juízes, magistrados e alguns outros servidores do Ministério Público.

Como funciona a aposentadoria compulsória como punição

Quando esse tipo de aposentadoria é aplicada para fins de punição, ela busca punir o servidor público que agiu incorretamente. Dentre os erros e desvios de conduta mais comuns estão parcialidade de juízes, atrasos de procedimentos e tráfico de influência, o que é gravíssimo.

Portanto, é instaurado um processo administrativo e somente após seu encerramento e deferimento do pedido do órgão é que o trabalhador é aposentado.

Contudo, note-se que nesse caso se considera o afastamento das atividades como uma punição; por outro lado, o servidor mantém o direito de recebimento mensal de remuneração advinda da aposentadoria.

Logo, fica claro, que esta punição se torna quase um prêmio. E isso é algo que deve ser corrigido.

A Reforma Administrativa que busca fazer alterações legais relacionadas ao funcionalismo público, por outro lado, pretende acabar com a aposentadoria compulsória como punição. Porém, a extinção dela depende, ainda, da aprovação da proposta no Congresso Federal.

Confira agora: Conhece os direitos dos aposentados? Entenda mais sobre isso e sobre o 14° salário

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here