Distanciamento social: Você sabia que os morcegos também o praticam quando estão doentes?

Cientistas monitoraram um grupo de 31 morcegos que vivia dentro de uma árvore oca para avaliar comportamento

194
Distanciamento social: Você sabia que os morcegos também o praticam quando estão doentes? / Divulgação
Distanciamento social: Você sabia que os morcegos também o praticam quando estão doentes? / Divulgação

Os morcegos, tidos como os “vilões” do novo Coronavírus, também praticam o distanciamento social quando estão doentes. Foi o que constataram alguns pesquisadores da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos.

No entanto, a pesquisa publicada na revista Behavioral Ecology, mostrou que estes animais ficam afastados e interagem menos com seus companheiros de grupo, quando ficam enfermos.

Os cientistas monitoraram um grupo de 31 morcegos que vivia dentro de uma árvore oca, onde colocaram sensores de proximidade minúsculos, para descobrir quando os morcegos interagiam entre si.

Leia também: Quais as sequelas graves dos sobreviventes do coronavírus? Estudo apontou alguns deles

Por outro lado, para chegar até estes resultados sobre distanciamento social no reino animal, os estudiosos injetaram uma substância chamada lipopolissacarídeo em 16 mamíferos da espécie.

Desta forma, seus sistemas de defesa começaram a reagir temporariamente como se estivessem doentes. E, a partir dali, se percebeu uma mudança em seu comportamento – que passou a adotar o distanciamento social, do restante do grupo.

Já os outros 15, receberam uma solução salina em forma de injeções, que não interferiram em seu sistema imunológico.

Leia também: Quais as sequelas graves dos sobreviventes do coronavírus? Estudo apontou alguns deles

distanciamento social
Vôo de morcegos / Foto: Reprodução

Menos interação, mais distanciamento

A partir dali, observou-se o início do distanciamento social: cada morcego ‘doente’, interagiu com 4 morcegos a menos, do que os animais ‘saudáveis’ fizeram.

Além disso, os integrantes do grupo em que se simulou doença também moviam-se menos, de maneira sonolenta e se negavam a participar de rituais e de interações sociais com os demais animais.

Entretanto, evidenciou-se que esta diferença no comportamento diminuiu cerca de seis horas após a injeção. Foi quando os mamíferos voadores dormiam ou saíam em busca de comida.

Veja mais: Dia nacional da saúde da população negra é comemorado nesta terça; saiba mais

Contudo, cerca de 48 horas depois, os efeitos das injeção desapareceram completamente, e os animaizinhos voltaram a ser tão sociais quanto eram antes.

Em resumo, ficou comprovado que ao se sentir mal, os morcegos agiam de maneira inteligente, ainda que involuntária, para reduzir a probabilidade de espalhar o vírus para seus companheiros.

Mamíferos em estudo / Foto: Grupo de Monitoramento de Morcegos - Unijui
Mamíferos em estudo / Foto: Grupo de Monitoramento de Morcegos – Unijui

O principal autor do estudo, Simon Ripperger, costuma chamar este comportamento de “distanciamento social passivo”. Ele também o avalia como positivo e comum no reino animal. Além de reconhecer a eficácia gerada pelo uso dos sensores para alcançar a estes resultados.

“Os sensores nos deram uma janela nova e surpreendente para saber como o comportamento social desses morcegos mudava de hora em hora e mesmo, de minuto a minuto, durante o dia e a noite; mesmo enquanto eles estavam escondidos na escuridão de uma árvore oca,” disse o estudioso.

Continue lendo: Descubra o que seu animal de estimação faz quando você não está em casa

Fonte: BBC

Gostou desta matéria? Acompanhe nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter Pinterest.

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here