Fitoterapia: Tudo Que Você Precisa e Quer Saber

fitoterapia

Plantas que fazem milagres e curam sem maltratar seu corpo é a promessa da fitoterapia

A fitoterapia é uma ciência que estuda o poder de cura das plantas e demais ingredientes provenientes da natureza. Sabe quando você faz um chá para a dor de cabeça? Pois é, isso é uma prática de fitoterapia.

As plantas têm uma série de elementos poderosos para o nosso organismo. Não é à toa que a fitoterapia é praticada por médicos, dentistas, farmacêuticos e nutricionistas. O Brasil é um campo muito grande de estudo dessa ciência, porque é um país rico em biodiversidade.

Afinal, fitoterapia o que é?

Fitoterapia: definição e origem

Do grego, fito (phyto, que é planta) terapia (therapya) significa literalmente “terapia da planta”. Fitoterapia em significado é a manipulação de substâncias encontradas na natureza para fins medicinais. Você pode praticar em casa ou pode mandar manipular um medicamento fitoterápico na farmácia, por exemplo.

Alguns médicos preferem a fitoterapia aos tratamentos convencionais, pois é mais natural e não contém elementos industrializados. Ou seja, não costuma ter efeitos maléficos no nosso organismo.

fitoterapia

Mas para que serve a fitoterapia?

Podemos simplificar dizendo que serve para tudo. Desde dores menores até na melhora de sintomas de doenças crônicas. A fitoterapia é ideal para pessoas com alergias aos medicamentos ou hipersensibilidade.

Porém atenção! Nem tudo o que você consome que provem na natureza é um fitoterápico. As plantas medicinais podem ser ingeridas in natura. Os remédios fitoterápicos são produzidos a partir de matéria-prima natural.

Será que é confiável?

Há muitos estudos que revelam bons resultados no uso de fitoterápicos em pacientes com doenças respiratórias, câncer, diabetes e dores crônicas. São medicamentos menos invasivos e que não fazem mal nenhum. Nos casos indicados por um profissional de saúde são confiáveis.

Além disso, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 80% da população mundial utiliza fitoterápicos em algum momento da vida. Em alguns países, a fitoterapia é inclusive regulamentada por lei.

No Brasil, o Sistema Único de Saúde (SUS) já trabalha com o uso desses medicamentos há dez anos. Só em 2015, o Ministério da Saúde afirma ter tratado 16 mil doentes com essa terapia. Inclusive a prática faz parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC).

Fitoterapia: plantas medicinais mais comuns

  1. Espinheira-santa: serve para gastrite, úlcera duodenal e dispepsias.
  2. Guaco: é expectorante e broncodilatador.
  3. Aroeira: é cicatrizante, anti-inflamatório e antisséptico.
  4. Unha-de-gato: pode ser aplicada em casos de artrites e osteoartrite.
  5. Hortelã: trata síndrome do cólon irritável e problemas de intestino.
  6. Babosa: utilizada em queimaduras, conjuntivite e cabelos.
  7. Salgueiro: anti-inflamatório para a região lombar.

É ainda possível encontrar muita informação em livros sobre fitoterapia em sites como a Americanas ou Amazon.

 

Fonte: Organização Pan-Americana da Saúde

Crédito das Imagens: Unsplash