Masturbação infantil, é normal? Entenda

199
Masturbação Infantil
Os pais precisam estar atentos para apoiar os filhos. Foto: Freepik

Masturbação infantil não só normal, como natural e também esperado. Este é um tema tabu que deixa muitos pais preocupados e inseguros quanto ao que fazer, afinal, é uma prática ainda vista como “suja”, “errada” e “feia”, porém da mesma forma que o bebê descobre as mãos e os pés, quando maior ele passa a descobrir, e se interessar, também pelos órgãos sexuais.

Quando a masturbação se inicia nas crianças?

Por volta dos 3 aos 6 anos a criança se torna mais curiosa com o seu corpo, desenvolve um interesse natural pelos órgãos sexuais e começa a explorá-los com maior frequência, percebendo ali também uma fonte de prazer (não no sentido sexual!), geralmente ocorre em momentos que a criança está entediada ou distraída enquanto assiste à televisão por exemplo.

Veja também: Tempo de tela para crianças em 2020: veja recomendações dos profissionais relativas à pandemia

Quais as causas para a masturbação na criança?

masturbação infantil
As descobertas sobre o próprio corpo são essenciais. Foto: Envato

Basicamente quatro:

1) Curiosidade e interesse natural pelo corpo

2) Tédio. Quando não estão sendo estimuladas com atividades interessantes, brincadeiras lúdicas, a criança busca a masturbação como algo prazeroso

3) Ansiedade. Podem tentar se acalmar por meio da masturbação, como uma forma de relaxamento.

4) Compulsividade. Sendo esta a forma patológica.

Como agir com os filhos durante esta fase?

Da forma mais natural possível! Portanto, se a criança está em casa, em um ambiente seguro, ignore. Caso a criança toque no assunto ou queira tirar dúvidas, não use um tom de repressão, explique que é natural mas que deve ser feito apenas em casa. É importante a criança saber que o corpo é dela, que apenas ela pode se tocar, e que isso não deve ser feito em locais públicos, escola ou perto de desconhecidos. Desta forma você se torna um aliado do seu filho, ajudando até mesmo na prevenção do abuso infantil.

Se este assunto for tratado como algo errado ou feio, com repressão, a criança pode iniciar uma associação entre o “errado” e o “prazeroso”, se sentir culpada, além de poder criar um distanciamento afetivo dos pais, por se sentir enganada, pois ela não enxerga o real motivo da proibição, afinal como pode ser errado e feio algo que faz parte do seu corpo e te gera prazer?

Leia também: Síndrome inflamatória pediátrica com 57 casos em MG é rara e está relacionada com o novo Coronavírus

Assim, é importante que a criança tenha associações positivas às atividades prazerosas, além de confiar e perceber que o que seus pais dizem é realmente verdadeiro.

Como identificar se a masturbação infantil é patológica?

Masturbação infantil
Os pais precisam estar atentos sobre os limites. Foto: Envato

A única situação patológica é quando ela se torna compulsiva, geralmente ocorre após os 6 anos, persiste de forma intensa, várias vezes ao dia, a criança deixa de se interessar por brincadeiras dando preferência à masturbação. É uma situação onde o ato foge do controle da criança.

Aliás, atitudes controladoras tendem a piorar esta sobrecarga emocional, reforçando ainda mais o comportamento masturbatório, como forma da criança se acalmar.

Portanto, é muito importante que crianças com este quadro sejam acompanhadas com psicoterapia, pois pode existir indícios até mesmo de transtornos como neurose obsessiva e transtorno obsessivo-compulsivo.

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here