O esgotamento emocional pelo diagnóstico da Síndrome de Burnout

6
A síndrome de burnout
O esgotamento emocional pelo diagnóstico da síndrome de Burnout | Crédito Canva

Em meio ao caos em que estamos vivendo nessa pandemia, muitas doenças estão se apresentando como verdadeiros vilões aos profissionais. Principalmente àqueles  que atuam na linha de frente contra o coronavírus sofrem com o esgotamento emocional. A Síndrome de Burnout (SB) é uma delas. E, para sabermos mais sobre essa condição na saúde das pessoas conversamos com Karina Figueredo Paludetto, uma Psicóloga Clínica (CRP: 06/163957) que é autoridade no assunto.

Ainda mais, ela aponta caminhos possíveis para o enfrentamento desse mal e dá outras dicas super interessantes. Confira a seguir aqui no SaúdeLab e se informe mais sobre esse tema.

Síndrome de Burnout
Aliás, muitas doenças estão surgindo na pandemia. | Crédito CANVA

Entenda a Síndrome de Burnout com a Psicóloga  Clínica Karina F. Paludetto

A propósito, você sabe o que fazer para lidar com os extremos do estresse e encontrar soluções para retomar uma vida mais saudável? Primeiramente é preciso entender como o esgotamento emocional pode causar danos ao indivíduo e  conhecer também os conceitos dessa Síndrome. Veja a seguir.

SaúdeLab: O que é a Síndrome de Burnout?

Psicóloga Karina: Primeiramente pela nomenclatura do termo Burnout compreende-se que essa é uma palavra derivada do inglês, tendo em seu significado algo como: “ser consumido pelo fogo” ou “queimar algo até o fim”.

Quem sofre com essa condição, vivencia uma sensação de perda de suas energias emocionais e/ou físicas, devido a uma rotina estressante com relação ao trabalho.

Síndrome de Burnout
A síndrome significa algo como: “ser consumido pelo fogo” ou “queimar algo até o fim” | Crédito CANVA

A síndrome encontra-se relacionada ao esgotamento de um estresse que é proveniente deste ambiente de trabalho. Certamente, estando isso associado a um conjunto de exigências excessivas que são sentidas pela pessoa.

Compreendemos que nas atuais circunstâncias, trabalhadores de quaisquer áreas podem ser afetados pela SB, ainda mais neste contexto de pandemia. Seja com as novas adptações para o trabalho em cas, o famoso ‘home Office’ e, principalmente, no que diz respeito aos trabalhadores de serviços essenciais a população.

O diagnóstico

A Psicóloga continua dizendo: “com isso se entende que o diagnóstico da síndrome encontra-se estritamente relacionado ao trabalho, sendo que a pessoa acometida experiencia uma sensação de esgotamento do vigor que é emocional, físico e psicológico. Há com estes desajustes emocionais um conjunto de sintomas psicossomáticos, no que envolve assim a parte dos sintomas sentidos fisicamente.”

Sintomas da Síndrome de Burnout

SaúdeLab: Quais os sintomas?

Psicóloga Karina: Como mencionado, a síndrome encontra-se relacionada a questões de ordem emocional advindas de um contexto de sobrecarga que encontra-se associada ao ambiente de trabalho.

Por estar relacionado a questões emocionais de um estresse crônico, os sintomas físicos são apenas uma das formas de manifestação deste emocional abalado. Nessa questão psicossomática no tocante aos múltiplos sintomas fisicos, são nomeados também de Transtornos Somatoformes.

Sintomas da SB
os sintomas físicos são apenas uma das formas de manifestação deste emocional abalado | Foto: CANVA
Essas manifestações aparecem como:
  • constantes dores de cabeça ou dores generalizadas pelo corpo. Pode haver também alterações gastrointestinais.
  • Com relação à exaustão psicológica e emocional há: uma alteração do sono, dificuldade de concentração que pode ser altamente incapacitante para realização de atividades do dia-dia; irritabilidade.
  • Sentimentos relacionados à despersonalização, sendo isso a questão do não reconhecimento daquilo que a pessoa faz com o seu trabalho. E pode ser sentido como uma perda do entusiasmo, onde as atividades laborais podem estar sendo realizadas de forma mecânica ou “desligada”.
  • Além do mais, há também pensamentos excessivamente negativos. Essas mudanças no comportamento podem ser percebidas por pessoas próximas. Dentre elas: colegas de trabalho, amigos e familiares.

Afinal, o acometido pela síndrome levará essa questão para outras relações dele fora do seu trabalho. Certamente, há a dificuldade de se desligar do mesmo, sendo que o sentimento de estresse e irritabilidade acompanha a pessoa para outras relações de sua vida.

Com todas estas questões envolvidas, o trabalho perde sua qualidade e sua funcionalidade. A pessoa também pode ter um movimento de negar as necessidades de distração e lazer, acaba colocando isso como algo secundário ou “sem muita importância”.

Leia também: Como o processo terapêutico pode ajudar o paciente no tratamento das doenças psicossomáticas

Fatores de risco

SaúdeLab: Existem fatores que podem contribuir para o surgimento da Síndrome?

Psicóloga Karina: A pandemia é um dos fatores que tem contribuído de forma significativa para o agravamento da síndrome, especialmente nesse contexto que estamos vivendo.

E não há como negar, a mesma tem afetado a saúde mental das pessoas no que diz respeito ao isolamento social.

Todos esses fatores contribuem para um grande impacto emocional e psicológico, e no home office ele se prolonga.

Síndrome de Burnout
A pandemia é um dos fatores que tem contribuído de forma significativa para o agravamento da síndrome | Imagem : Canva

Medo pelo contágio também aflige

Vale ressaltar, que os profissionais atuantes da linha de frente do combate ao vírus e também aos que trabalham nos serviços essenciais a população, recebem uma carga maior de estresse e com isso, há também o medo pelo contágio.

Ainda com relação aos fatores de risco é importante observar, como já mencionado, o contexto das condições estressoras de uma demanda excessiva de tarefas. Tudo isso associado a um modo pessoal do indivíduo de ser exigente consigo mesmo – ‘dar conta do recado’.

São coisas desse nível que contribuem ao promover o surgimento da Síndrome de Burnout pelo esgotamento profissional no excesso de cobranças.

SaúdeLab: Quando buscar ajuda?

Psicóloga Karina: É importante a pessoa estar atenta aos sinais dessa exaustão psicológica e sintomas físicos, assim como o contexto de uma pré-disposição relacionada ao trabalho com as altas demandas e o modo de ser do individuo. Veja, o conjunto de tudo isso pode contribuir para a Síndrome. E sim, são sinais de alerta a serem considerados e avaliados por especialistas, imediatamente.

SaúdeLab: Quais os profissionais envolvidos nas intervenções?

Psicóloga Karina: O diagnóstico é realizado por um profissional clínico como um psicólogo ou psiquiatra. Neste diagnóstico é feito anamnese (coleta de dados) com relação ao histórico da pessoa como em uma entrevista clinica. Na sequência, faz-se um levantamento aprofundado na fala para identificação de sintomas característicos.

Nesse sentido, aplica-se testes psicométricos, como questionários, por exemplo. Eles são baseados em uma Escala Likert, e é algo que ajuda para o diagnóstico.

Mas tudo isso também deve estar interligado a forma de ser dessa pessoa. Em outras palavras, como ela lida com as coisas dela, isso diz muito sobre ela mesma.

tratamento Síndrome
A terapia pode ser uma solução para o esgotamento emocional | Imagem CANVA

Considerações

Nessa questão do esgotamento emocional podemos compreender a amplitude das questões que desencadeiam a Síndrome de Burnout. Até mesmo, por todo esse conjunto de sintomas apresentados e que são advindos de um estresse crônico. Ele é quem acarreta uma sensação de extremo desgaste psicológico e físico.

Assim, diante desse quadro, pode-se apresentar como tratamento, em alguns casos, uma intervenção psiquiátrica com a parte medicamentosa e um tratamento terapêutico no acompanhamento psicológico.

Logo, o espaço da sessão terapêutica possibilita a expressão dos sentimentos e aproximação de questões no aprofundamento das falas do paciente.  Todavia, possibilita o acolhimento.

Então, fica sublinhado o objetivo de melhorar o gerenciamento das emoções atrelado com compreensão de si mesmo e o seu modo de ser. Portanto, o resultado segue sempre em encontrar uma forma de reestabelecer um equilíbrio na pessoa.

Contatos: Karina Figueredo Paludetto – Psicóloga Clinica CRP: 06/163957

Instagram: @karinapaludetto_psico;

E-mail: karinafpaludetto@gmail.com;

Telefone/whattsapp: (11) 99441-7051

Para mais informações acesse o site: Karina Figueredo Paludetto

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here