Secretaria de Saúde de Magé é alvo de operação da PF que culminou em prisão; Veja

223
Secretaria de Saúde de Magé
Secretaria de Saúde de Magé é alvo de operação da Polícia Federal que culminou em prisão; Veja

A Secretaria de Saúde de Magé, no Rio de Janeiro, foi alvo de uma operação da Polícia Federal que investiga um suposto esquema de corrupção envolvendo a pasta. A operação, aliás, culminou na prisão da secretária de saúde da cidade, que seria responsável por comandar os desvios feitos em desfavor do Sistema Único de Saúde (SUS).

O caso chocou por envolver enormes quantias de dinheiro desviados da saúde pública brasileira justamente em um momento tão delicado em razão da pandemia de Covid-19.

Abaixo, confira mais detalhes sobre esse caso e sobre as investigações que envolvem o SUS no município fluminense de Magé.

Secretaria de Saúde de Magé
Secretária da Saúde foi presa por suspeita de participação em esquema que desviou milhões. (Imagem: G1)

Também leia: Aborto no SUS: Ministério da Saúde atualiza novamente os procedimentos

Secretaria de Saúde de Magé: Polícia Federal investiga desvios de R$ 9 milhões

A secretária da pasta de saúde do município de Magé, Carina Tavares, foi presa na última quinta-feira (24) pela Polícia Federal. Sua prisão, dessa forma, está atrelada às investigações sobre um esquema de corrupção envolvendo o SUS.

Os desvios somariam cerca de R$ 9 milhões e teriam ocorrido por meio do direcionamento da contratação de um laboratório da cidade. O estabelecimento, por sua vez, seria pertencente a um vereador. Dessa maneira, existem indícios de fraude às licitações de contratos para a realização dos exames pelo SUS.

Portanto a Secretaria de Saúde de Magé é investigada por suspeita de crimes diversos. Dentre eles, a dispensa ilegal de licitação e a fraude no procedimento licitatório, falsidade ideológica e peculato. Também, a PF indica que teria havido o crime de organização criminosa.

Desvios ocorriam desde 2016

Os investigadores da Polícia Federal responsáveis pelo caso apontaram que as suspeitas foram levantadas após repetidas contratações do laboratório pertencente ao vereador de Magé. Elas ocorriam periodicamente desde o ano de 2016.

Esses desvios realizados pela Secretaria de Saúde de Magé permanecem sendo investigados e chamam a atenção, principalmente, por ferir o patrimônio público voltado à saúde, justamente num momento tão delicado quanto o atual em face da pandemia.

Confira agora: Processos judiciais contra planos de saúde marcam o período de pandemia

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here