Surto Psicótico: quais são os principais sintomas e o que fazer?

Recentemente a modelo e influencer Andressa Urach voltou a tomar conta dos sites de notícias após seu marido relatar, nas redes sociais, sobre uma internação devido ao surto psicótico. Durante a crise, Andressa teria colocado a vida do filho, de apenas 9 meses, em risco. O comportamento da modelo tem se mostrado preocupante nos últimos anos. Mas, quais são os sinais de um surto psicótico? Saiba mais, aqui no SaúdeLAB.

Surto Psicótico

O surto psicótico é uma experiência onde o indivíduo não consegue diferenciar o que é real, do que não é. Inclusive, durante essa crise, o indivíduo pode reagir de maneiras totalmente inesperadas, imaginado situações completamente fora da realidade, levando, inclusive a atitudes agressivas e perigosas. Os delírios estão comumente presentes e podem ser transitórios.

Veja 9 sinais de um possível surto psicótico

  • Delírios e alucinações: o indivíduo começa e ouvir vozes, imaginar que está sendo perseguindo e até ter visões de situações irreais.
  • Perda de contato com a realidade: a pessoa começa de imaginar situações que são completamente impossíveis de acontecer.
  • Confusão mental ou pensamentos desorganizados: Neste caso, pessoa pode esquecer de vínculos familiares, por exemplo, ou achar que está em outro local divergente de onde ela realmente está.
  • Fala desconexa: o indivíduo pode falar coisas sem sentido nenhum e que não condizem com a realidade.
  • Oscilação de humor (depressão e euforia): Em poucos segundos ele passa de uma alegria imensa a uma situação depressiva profunda.
  • Agressividade: Este sintoma é bem comum, levando até o risco de lesões mais graves, inclusive a morte.
  • Insônia: Como a pessoa está com a mente em ebulição não consegue relaxar o suficiente para conseguir dormir e pode até passar dias sem conseguir descansar.
  • Perda de apetite e emagrecimento: O indivíduo perde a fome  muito em função dos pensamentos desconexos.

O que fazer?

Jamais se deve agir sozinho nestas situações, a ajuda profissional é essencial, pois o paciente corre o risco de se ferir e também causar lesões em outras pessoas. Portanto, ajuda profissional é essencial. O ideal que é que o doente seja acompanhado pela sua equipe de saúde, se não for possível, deve-se localizar o CAPS mais próximo ou ainda o corpo de bombeiros para intervir na situação.

Leia mais: 5 motivos para fazer terapia; dicas do especialista

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitarconsulte Mais informação