Terapia on-line em tempos de pandemia: a psicóloga Karina Figueredo Paludetto fala mais sobre o assunto

No contexto da pandemia, a terapia on-line tem ajudado profissionais e pacientes a se encontrarem.

4
Terapia on-line com a psicóloga Karina Paludetto
Terapia on-line com a psicóloga Karina Paludetto

O Brasil enfrenta a pandemia pelo novo Coronavírus a mais de um ano. E, o fim desta história parece estar longe de acontecer, pelo menos aqui no Brasil. No entanto, conseguimos nos reinventar, e, assim, encontrar saídas e soluções para os obstáculos que foram surgindo no caminho. No entanto, a saúde mental, sabidamente, foi uma das mais afetadas neste período.

Além disso, vários estudos demostram que houve um aumento em torno de 30% na busca por atendimento psicológico neste período. Dentre eles está a terapia on-line, que ganhou um espaço importante com a telemedicina.

Desta forma, para entendermos melhor como funciona a terapia on-line, convidamos a psicóloga Karina Figueredo Paludetto que atua nesta modalidade e tem tido ótimo resultados.

A terapia on-line pela psicóloga Karina Paludetto

Terapia on-line
Psicologia Karina Paludetto conta sua experiência com terapia on-line.

Saudelab: Como é ser terapeuta on-line? 

Psicóloga Karina: Primeiramente, como psicóloga, se tem uma coisa que se deve estar, é aberta a ouvir. E, assim, acolher tudo aquilo que vem a ser diferente de suas próprias vivências pessoais. Aprender a se desconstruir para poder ouvir e acolher, suspender as suas verdades para ajudar o outro a compreender e a encontrar as suas, e entender as várias formas de ser no mundo; sendo que cada forma de ser carrega uma história pessoal cheia de sentimentos e significados.

Em minha formação nunca imaginei atender on-line. Não vislumbrava essa possibilidade, entretanto com o contexto da pandemia, esse meio virtual se tornou uma ferramenta possível de atuação. Devemos compreender que o atendimento on-line não veio para extinguir o atendimento físico, mas sim para agregar e ajudar como uma forma possível da atuação do profissional de saúde mental.

De minha experiência pessoal tenho essa compreensão tanto por quem atende, quanto por quem passa pelo atendimento psicológico on-line. Posso dizer que houve uma identificação minha com essa forma possível de atuação, até mesmo também pelos feedbacks positivos que tenho recebido com os meus pacientes nos atendimentos on-line.

A terapia tem sido, para mim como profissional, uma experiência de troca de conhecimento com meus pacientes, pois, na atuação, há a relação do vínculo terapêutico, que é importante em qualquer terapia. Sendo isso um processo de construção com o paciente. O vinculo inspira nesses pacientes, confiança, e, consequentemente, maior desinibição no tocante ao contato com as suas próprias questões existenciais. Essa possibilidade de troca de experiências e vínculo terapêutico impacta também na construção do autoconhecimento do próprio psicólogo, pois este deve estar também aberto a se conhecer, para assim saber separar o que é seu e o que é do paciente.

Com relação a atuar na terapia on-line, posso dizer que esse meio proporciona maior abrangência do alcance do serviço. Pois não estou limitada a um espaço físico, o que me possibilita a atender pessoas de outros estados, e, também, ao paciente realizar suas sessões em um ambiente por ele familiarizado. Sem a necessidade, assim, do deslocamento.

Saudelab: O que é a terapia on-line no contexto da pandemia?

Psicóloga Karina: O serviço de terapia on-line se tornou um meio de trabalho do psicólogo clínico, tornando-se uma intervenção possível aos profissionais que estejam cadastrados no site do e-Psi. Este recurso acabou ganhando maior visibilidade em decorrência do atual contexto da pandemia do Covid-19, se tornando uma ferramenta útil para realização de intervenções terapêuticas.

Psicóloga Karina Paludetto
Terapia on-line com a psicóloga Karina Paludetto. Foto: Freepik

O atendimento virtual possibilitou maior abrangência no alcance às pessoas. Havendo neste contexto um aumento pela procura do serviço. Consequentemente a demanda de trabalho no atendimento psicoterápico on-line se tornou ainda maior. Nesta questão, entende-se mais uma vez, que a ajuda psicológica não se encontra apenas restrita a um espaço físico de deslocamento para o paciente, sendo que fazer terapia a distancia permite que você se mantenha cuidando de suas questões internas, sem a necessidade de exposição ao risco de contágio em visitas a consultórios físicos.

Saudelab: Como é o primeiro contato? 

Psicóloga Karina: Geralmente acontece por mensagem, onde deixo meus contatos para agendamento da primeira consulta, nas redes sociais de divulgação e cartão de visita. Dependendo do caso, o paciente pode mostrar a necessidade de acolhimento ali mesmo com relação a alguma questão emergente que apresente; como por exemplo, a dificuldade de se abrir para questões pessoais de ordem emocional com o terapeuta na primeira entrevista. A partir disso é possível realizar o acolhimento daquela questão na mensagem, o que caracteriza uma intervenção assíncrona (comunicação em tempo não real), onde convido também a pessoa a desenvolver melhor este pensamento na entrevista inicial.

Posteriormente a esse primeiro contato por mensagem, é marcado um dia e horário para realização de uma primeira entrevista, que no caso seria uma primeira sessão cortesia gratuita. Esse atendimento tem o objetivo de apresentação do trabalho do profissional, que oportuniza também ao paciente a realização de alguma intervenção psicológica. Podendo nessa entrevista ser firmado acordo ou não sobre continuidade do processo terapêutico.

Muitas pessoas possuem duvidas quanto ao que é terapia e como funciona o processo terapêutico. Com relação a isso explico que a terapia é um processo de acompanhamento psicológico, no cuidado com a saúde mental. Tudo isso acontecendo através de um vinculo entre terapeuta e paciente, que é essencial para o desenrolar do processo. É realizado um encontro semanal, sendo reservado um dia e horário especifico para a sessão. Esse encontro tem a duração de 50 min. (tempo padrão de atendimento).

Saudelab: Como funcionam as seções de terapia no atendimento on-line? 

Psicóloga: Acontecem da mesma forma que em um atendimento presencial. A diferença é que as sessões e, consequentemente, as intervenções, ocorrem através dos recursos tecnológicos como computadores, celulares e notebooks. O terapeuta encontra-se aberto a ouvir, realizando as intervenções necessárias do processo de acolhimento das questões existenciais do paciente. Isso caracteriza como as sessões terapêuticas on-line ocorrem, sendo por meio de uma comunicação síncrona a distancia, em tempo real através dos recursos tecnológicos.

É importante lembrar que neste contexto do on-line ocorre a necessidade no cuidado com as informações, devendo o profissional se utilizar de plataformas seguras para os atendimentos. Isso diz respeito à questão do trato com o sigilo. Fazendo parte disso há também a necessidade de se estar em um ambiente privativo, sem ruídos e sem distrações, utilizando fones de ouvido e respeitando o espaço de um atendimento terapêutico, para que assim não haja interferências e comprometimento na qualidade das sessões.

Terapia on-line com a psicóloga Karina Paludetto
Terapia on-line com a psicóloga Karina Paludetto. Foto: Freepik.

Saudelab: Existem outras formas possíveis de se realizar um acolhimento?

Psicóloga Karina: Essa é uma questão muito pertinente ao processo terapêutico, pois ainda mais no contexto pandêmico em meio às situações de crise, existe a questão das intervenções assíncronas, que ocorrem fora do dia e horário das sessões realizadas com o paciente. Isso caracteriza uma forma de acolhimento que o terapeuta faz de alguma questão emergencial em tempo não real; no caso as intervenções acontecem por meio de mensagens de áudio e/ou texto.

Nesse caso, o psicólogo encontra-se disponível para realizar uma intervenção pontual de questões emergentes, através de um contato que o paciente realize por mensagens de texto ou áudio. O objetivo sempre é acolher. Dependendo do caso podendo abrir um espaço para novas questões existenciais que, por sua vez, possam emergir de alguma determinada situação vivenciada pelo paciente. Podendo isso ser posteriormente trabalhado de forma mais aprofundada e cuidadosa, nas sessões on-line.

Saudelab: A quem se destina terapia on-line? 

Psicóloga Karina: Terapia on-line se tornou uma forma de atuação possível em um contexto atípico. Ela é para todos, mas essa questão de público específico depende de cada profissional, tendo a ver também com a identificação e manejo na atuação com determinada faixa etária. No meu caso, eu atendo adolescentes entre 12 a 18 anos, adultos e idosos. Realizei muitos estágios na minha graduação com relação à psicoterapia e plantão psicológico. Isso me possibilitou ter experiências com demandas diversificadas, assim como trabalhar com diferentes idades.

Com relação à faixa etária na terapia on-line existe também a questão do repertorio de expressão do paciente, esse exemplo eu direciono ao público infantil, pois com as crianças as sessões giram entorno de dinâmicas e jogos. Solicitando do terapeuta, portanto, ter um manejo lúdico. Neste caso do atendimento infantil, a criança necessita se expressar através do lúdico para conseguir absorver o processo a seu modo; assim como haver a questão do vínculo que a criança deve ter com o terapeuta que é muito importante. Mas no caso de crianças muito jovens, o adequado é o atendimento presencial, para melhor manejo do profissional.

Entenda a importância de se cuidar

Saudelab: Por que fazer terapia? 

Psicóloga Karina: Fazer terapia é sinônimo de autocuidado, que toda pessoa deve ter com a própria saúde mental. O serviço terapêutico possibilita ao paciente realizar uma aproximação com as questões existenciais, no que diz respeito ao que ele sente e pensa. Ajudando desta forma no reconhecimento e administração dos sentimentos. Estando a pessoa mais bem preparada para lidar com situações adversas.

A partir das sessões, o psicólogo pode trabalhar o emocional deste paciente, mediante ao vinculo terapêutico que é construído durante os atendimentos. Paciente e terapeuta constroem uma relação de aprendizagem, troca e confiança. Neste movimento a pessoa pode alcançar um autoconhecimento. No entanto isso vem a ser um processo que o cliente deve absorver com o decorrer das sessões, sendo importante pensar que o tempo para essa absorção é singular e subjetivo a cada paciente.

Na terapia on-line compreende-se que a questão do paciente estar em um ambiente que por ele é familiarizado, o ajudaria a alcançar certo conforto e, consequentemente, desinibição. Sendo que isso impactaria na questão de se sentir mais à vontade, para poder falar e se abrir nas questões pessoais; em resumo, com uma resistência menor.

Terapia on-line com a psicóloga Karina Paludetto
Terapia on-line com a psicóloga Karina Paludetto. Foto: Freepik.

Saudelab: Como o psicólogo se posiciona nas sessões?

Psicóloga Karina: Neste processo terapêutico o profissional deve se posicionar como um facilitador da tomada de consciência que o cliente faz de si mesmo. Não há respostas prontas por parte do terapeuta ao paciente, mas o que há é o desvelamento de uma verdade, que é pessoal e singular de cada pessoa. É um convite ao autoconhecimento, que cabe ao terapeuta trazer à tona durante as sessões. Buscando as expressões inautênticas de seu cliente.

O paciente deve ser um ser de autenticidade, capaz de assumir e reconhecer a si mesmo em suas ações. E, assim, melhor administrar o que sente e pensa diante as situações que lhe tocam. Terapia é crescimento pessoal, mas para isso é importante estar entregue ao processo, pois há a necessidade do que chamamos de disponibilidade de estar aberto no olhar para dentro de si, em suas questões pessoais.

Mais bem estar psíquico

É neste momento que ocorrem as resistências, pois a aproximação que se faz das questões pessoais geram emoções. E, muitas das vezes, o paciente tende a fugir do que sente. Não olhando para si. Possuindo um movimento inautêntico e contrário ao processo. Mas até mesmo isso nos revela como ele responde às situações. Compreende-se, portanto, que a forma como se escolhe responder a uma determinada situação, é supostamente geradora de um sofrimento. Desse modo, a proposta da terapia é de proporcionar o bem estar psíquico, pois todos nós necessitamos de acolhimento para as questões de nossa vida.

Contatos: Karina Figueredo Paludetto – Psicóloga Clinica CRP: 06/163957

Instagram: @karinapaludetto_psico;

E-mail: karinafpaludetto@gmail.com;

Telefone/whattsapp: (11) 99441-7051

Para mais informações acesse o site: Karina Figueredo Paludetto

Gostou na nossa entrevista de hoje? Em nossas redes sociais tem mais: FacebookInstagram, Twitter Pinterest.

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here