Tratamento de câncer: novo exame de sangue permite identificação de genes cancerígenos

O teste pode identificar 324 tipos de genes

88
tratamento de câncer
Tratamento de câncer: Novo exame de sangue permite identificação de genes cancerígenos (Imagem: UOL)

O tratamento de câncer no Brasil ganhou um novo aliado com o lançamento de um exame de sangue que permite a identificação de genes cancerígenos. Dessa forma, os procedimentos de combate à doença podem ser melhor direcionados.

A novidade é fruto de um exame desenvolvido pela Roche Foundation Medicine e se chama FoundationOne® Liquid CDx. Esse mesmo exame, aliás, foi recentemente aprovado pela agência reguladora americana, a FDA.

Continue lendo para conferir, então, como funciona esse exame que auxiliará no tratamento de câncer e como ele constitui um importante passo no caminho do combate às doenças cancerígenas.

Também leia: Pré-Gestação no SUS: Tese indica que sistema precisa de mais preparo

tratamento de câncer
Um novo tipo de exame sanguíneo permite melhor direcionamento aos tratamentos de tumores sólidos (Imagem: Inopat)

Tratamento de câncer ganha um novo tipo de exame

O novo exame que recém chegou ao Brasil é realizado a partir de uma simples gota de sangue. Chamado de biópsia líquida, é destinado aos tumores sólidos A partir desse material de amostra é possível identificar a composição genética do câncer que afeta o paciente, sendo que a identificação já abrange 324 tipos de genes.

Isso, por sua vez, permite que o médico responsável pelo tratamento possa analisar quais são as melhores formas de combater a doença. Além disso, esse exame evita a coleta adicional de amostras de tecido que muitas vezes são insuficientes para determinar fatores cancerígenos.

Portanto, o tratamento de câncer ganha um aliado que direciona melhor os esforços  para extração do tumor que afeta o paciente.

Como funciona o novo exame?

Segundo o médico William Nassib William Junior, diretor de oncologia e hematologia do grupo Beneficência Portuguesa (BP), o exame é capaz de identificar o material genético liberado pelas células cancerígenas na corrente sanguínea do paciente.

Ainda, a amostra de sangue para o exame de tratamento de câncer pode ser colhida na própria casa do paciente ou mediante clínica. Esse é um sinal do fortalecimento da medicina personalizada, que considera reações químicas e possibilidades de forma individual.

Confira agora: Câncer de mama no Brasil: relatório aponta mais de 66 mil novos casos em 2020

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here