Você sabia que a babosa pode ser tóxica, se usada incorretamente? Entenda aqui!

365
babosa
Folha da babosa | Reprodução: Freepik

A babosa, também conhecida como Aloe Vera, uma planta que é largamente utilizada  em tratamentos estéticos e na medicina alternativa com a proposta de auxiliar e até mesmo curar diversos distúrbios. Ela, por exemplo, é conhecida por deixar os cabelos muito mais sedosos e macios, além de deixar com um brilho único, principalmente os cabelos cacheados, que necessita de cuidados especiais.

babosa
Aloe vera ou babosa | Reprodução: Freepik

Mas mesmo que não seja o uso mais comum, a babosa também é utilizada na medicina alternativa devido aos seus vastos efeitos na saúde, pois, ela auxilia na cicatrização de ferimentos, melhora o aspecto da pele, e tem uma poderosa ação anti-inflamatória.

Leia aqui: Posso passar inhame na pele? Entenda aqui

Suas propriedades estão concentradas em suas folhas, mas precisamente em seu interior. Veja, quando se corta um pedaço, é possível ver aquela mucilagem, que é utilizada diversificadamente nas receitas de máscaras para a pele, cabelo e até bebidas reidratantes.

A sua estrutura é composta por 10% de fibras e o restante de água, pois isso o aspecto tão transparente do seu “gel”. Mas será que com tantos benéficos ela pode ser tóxica? Acompanhe a seguir.

A babosa pode ser tóxica? Entenda agora

Muitas pessoas não sabem, mas sim, a babosa se utilizada da forma incorreta ela pode ser tóxica. No momento em que se corta a folha para extrair o seu gel translúcido, a planta solta um líquido aquoso, com uma certa viscosidade, e com uma coloração amarelada.

Esse líquido é considerado tóxico, tanto para ser consumido quanto para uso diretamente na pele. De acordo com o Agrônomo Ademar Menezes, essa resina amarela que as folhas soltam, possuem substâncias em abundância com efeito laxativo, que podem ocasionar problemas gastrointestinais, como diarreia intensa e vômito, além de outros sintomas, e na pele, pode causar alergias severas.

babosa
Babosa | Reprodução: Freepik

A recomendação para o uso seguro da babosa, é imediatamente após realizar a colheita das folhas. Então elas devem ser lavadas e colocadas para secar posicionadas verticalmente, para que toda essa substância seja eliminada naturalmente pela planta.

Dessa maneira aguarde que ela escorra esse líquido por 24h, assim todo o líquido tóxico escoará e deixará a babosa pronta para uso.

Dessa forma, é possível desfrutar de todos os benefícios que a essa planta pode oferecer, mas com segurança, sem expor a saúde à riscos desnecessários.

Qual a posição da Anvisa sobre o consumo do aloe vera para fins medicinais?

De acordo com a Anvisa (Agência de Vigilância em Saúde), a ingestão da planta na medicina alternativa não é recomendada, e justifica sua proibição por não ter comprovação científica dos efeitos potenciais no organismo. E a indicação médica fica à critério e responsabilidade de quem a prescreve.

Em entrevista ao Conselho Regional de Farmácia de Alagoas, em 2019, veja o depoimento de Max Viana, Farmacêutico e Doutor em Ciências da Saúde. Segundo sua opinião:

“As pessoas que usam esse produto têm tido uma média de perda de quatro a seis quilos/mês, mas não ponderam ou associam os danos no fígado, ligado ao alto índice de toxicidade hepática do produto, uma vez que os sintomas não são imediatos, aparecendo após 30 ou 60 dias ao início do consumo. Casos de hepatite medicamentosa já foram identificados e ligados à composição da babosa”, alertou enfaticamente.

Existem diversos produtos autorizados pela Anvisa que são à base de Babosa, mas restritos a uso tópico, ou seja, em cremes cosméticos para aplicação externa, conforme documentos disponíveis na legislação.

Entretanto, saiba que a indicação médica para outras formas de uso, fica à critério e responsabilidade de quem a prescreve.

Veja também: Saúde do melhor amigo: veja o guia da alimentação saudável para pets

Gostou desta matéria? Compartilhe sua opinião conosco. Siga nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter e Pinterest

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here