5 alimentos que você NÃO deve compartilhar com seu cachorro

Conheça a lista e deixe seu pet saudável e em segurança

De antemão, os cachorros possuem um organismo diferente dos seres humanos. E não é qualquer alimento que pode dar para os pets. Além disso, podem causar sérias complicações, por exemplo, uma intoxicação. Contudo, hoje falaremos sobre 5 alimentos que você não deve compartilhar com seu cachorro.

Desse modo, é importante que o seu pet faça consultas regulares para que você saiba bem o que dar. Caso ele apresente sintomas e que pode ter comido algo que não devia busque ajuda especializada o quanto antes. Fique por dentro dos detalhes hoje no Blog SaúdeLab e evite problemas futuros no seu cachorro.

Leia mais: Receitas para cardápio de verão com alimentos crus: confira

Não dê Uvas e uvas-passas ao seu cachorro

Em primeiro lugar, as uvas e suas passas são alimentos extremamente venenosos para cães. Desse modo, a ingestão de pequenas quantidades já é o suficiente para intoxicar um animal. Os sinais clínicos encontrados após a ingestão normalmente são: vômito, letargia, anorexia, diarreia, dor abdominal, ataxia, fraqueza e, em casos mais graves, podem causar insuficiência renal aguda e óbito.

Contudo, ainda não se sabe ao certo qual é a substância tóxica da uva que causa tantos prejuízos, mas acredita-se que seja uma nefrotoxina ou um choque anafilático que leva ao comprometimento dos rins.

A princípio, a dose que pode atacar os animais é bem pequena, sendo de 2,8g de passas por quilo de peso corporal e 19,6g de uvas frescas por quilo de peso corporal. Ou seja, se um cão comer de 10 a 12 uvas já é suficiente para causar um caso de intoxicação aguda. Embora não existam relatos desta intoxicação em outros animais, tais alimentos devem ser mantidos distantes de gatos.

alimentos proibidos para cachorro
Logo, saiba os alimentos que fazem mal para seu pet e prefira os mais saudáveis – Canva

Xilitol

Do mesmo modo, comumente utilizado como substituto do açúcar em muitos produtos para controle de ingestão de açúcares, o xilitol é um ingrediente encontrado abundantemente em pães, chicletes, gomas de mascar, balas e em algumas frutas como o morango, ameixas e framboesas.

Logo, nos cães, a ingestão desse componente causa uma hiperinsulinemia, que pode acarretar depressão, vômito, ataxia e fraqueza, sendo 0,15g/kg de xilitol o suficiente para causar esses sintomas de 30 a 60 minutos após a ingestão. Neste caso o tratamento é apenas de suporte.

Chocolate, chá e café

Em síntese, não é novidade que o chocolate pode causar toxicidade nos animais, mas na verdade o que causa esse envenenamento são as substâncias teobromina e cafeína presentes no cacau, no café e alguns chás.

Em síntese, a teobromina é uma substância lentamente excretada pelo organismo dos pets, portanto uma vez ingerida, ela possui meia-vida de 18 horas e leva cerca de seis dias para ser eliminada do corpo. A teobromina ainda passa por recirculação entero-hepática, o que resulta em um efeito cumulativo de toxinas. Por conta disso, pequenas doses, mesmo que abaixo do limiar tóxico, podem resultar em óbitos.

Já a cafeína possui concentração muito pequena em derivados do cacau, sendo a sua eliminação em até 5 horas após a ingestão. Entretanto, as concentrações são importantes em cafés e chás.

Cães que ingeriram 20 mg por quilo de peso corporal de cafeína e teobromina já apresentam sinais clínicos importantes, sendo necessário apenas 4g de cacau em pó por quilo de peso corporal para levar um cão a óbito.

Cebolas e alhos não devem ser dados ao cachorro

Cebolas, cebolinhas e alhos são temperos muito utilizados na culinária dos tutores, e por serem muito saborosos atraem bastante o paladar dos pets. Porém esses ingredientes, tanto crus, cozidos ou desidratados, possuem forte toxicidade para cães e gatos.

A princípio, os principais sinais clínicos de intoxicação por esses ingredientes são: mucosas pálidas (como gengivas), taquicardia, taquipneia, letargia e fraqueza. Casos muito graves podem levar a vômitos, diarreia, dores abdominais e óbito. Isso acontece porque a cebola e o alho são capazes de destruir os glóbulos vermelhos do sangue, os eritrócitos, causando danos oxidativos à membrana plasmática destas células, levando à casos de anemia, icterícia e até morte.

Ossos são perigosos aos cachorros

Em suma, apesar de chamar muita atenção de nossos pets, não é recomendado o fornecimento de ossos, sejam crus ou cozidos. Além de poder causar irritação gástrica e desequilíbrio na flora intestinal, também há grande risco de engasgos e até perfuração de órgãos internos.

Ademais, veja também:  Como Emagrecer em Uma Semana? É Possível?

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitarconsulte Mais informação