Bruxismo: descubra o que é, as causas e tratamento adequado

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 30% da população sofre com bruxismo. Uma doença que pode surgir ainda na infância e causar muitos problemas, como desgaste dos dentes, por exemplo. Mas, o que será isso? Para ajudar você a entender esse problema, hoje, aqui no SaúdeLAB elaboramos esse artigo bem completo para esclarecer todas as suas dúvidas.

Afinal, o que é Bruxismo?

O bruxismo é um hábito caracterizado pelo ranger ou apertar dos dentes durante o sono. Com base nisso, entende-se que esse é um fenômeno que ocorre preferencialmente durante o sono, de forma inconsciente.

Além disso, os eventos de bruxismo estão associados com a mudança de sono profundo para sono leve e que impactam a saúde do paciente, conforme falaremos no decorrer desse artigo.

Mas, o que esse problema pode causar?

Pode-se citar como os principais danos causados pelo bruxismo:

  • Desgaste das bordas incisais e/ou oclusais dos dentes.
  • Fratura de dentes com restaurações.
  • Hipermobilidade dentária.
  • Reabsorção óssea.
  • Recessão gengival.
  • Trismo, em casos mais severos.
  • Dor nos músculos mastigatórios e na articulação temporomandibular (ATM).
  • Dores de cabeça.
  • Efeitos psicológicos.
  • Fadiga.

Porque o bruxismo tem esse nome?

Calma, não tem nada a ver com magia! Aliás, o termo bruxismo vem do grego “bruchein”, que significa apertamento, fricção ou atrito dos dentes sem finalidades funcionais. Ele foi utilizado pela primeira vez na literatura odontológica apenas em 1907, como “Bruxomania”, e anos depois, em 1931, foi substituído pelo termo hoje conhecido, “Bruxismo”.

Como saber se tenho bruxismo?

Bruxismo: descubra o que é, as causas e tratamento adequado
Bruxismo: descubra o que é, as causas e tratamento adequado. Foto: Canva Pro

O diagnóstico de bruxismo é baseado principalmente no relato de ranger de dentes ocorrido durante o sono, associado à dor ou tensão nos músculos da face ao acordar. Além disso, o diagnóstico clínico pode ser complementado pela Polissonografia, exame que irá identificar os episódios de bruxismo durante a noite de sono.

Entretanto, vale ressaltar que esse processo costuma ser complexo. Por isso, os sinais e sintomas devem ser diagnosticados precocemente, tendo em vista que a maioria dos danos provocados acabam sendo irreversíveis.

O que provoca esse problema de saúde?

Vários são os fatores relacionados ao bruxismo do sono, dentre eles pode-se destacar:

  • Idade
  • Tabaco
  • Álcool
  • Cafeína
  • Fatores psicológicos, como estresse e ansiedade.

De modo geral, essa condição tem sido amplamente associada ao estresse emocional e problemas oclusais, ou ainda, uma combinação de ambos.

Sabe-se que fatores de origem dental, como o tipo de oclusão, posição dental, mobilidade, padrão de movimento mandibular, contatos prematuros e presença de restaurações, podem ter influência direta na etiologia do bruxismo.

No entanto, o psicoemocional, é apontado como uma das mais importantes na gênese do bruxismo, podendo estar relacionado à frustrações de pacientes, que tendem, inconscientemente, fazer o movimento de pressão para descarregar sentimentos de agressividade.

Quando o bruxismo pode aparecer?

O que muitas pessoas não sabem é que o bruxismo pode surgir ainda na infância. Segundo alguns estudos, o bruxismo apresenta uma prevalência mais alta em crianças e adolescentes, quando comparada à adultos.

Além do mais, quando a criança apresenta este problema, pode ser indicador de que algo pode estar errado com o seu bem-estar e isso deve ser investigado.

Outras razões que possuem associação com esta disfunção relacionado as crianças é a imaturidade do sistema mastigatório neuromuscular da mesma.

Como evitar o surgimento deste problema?

O ponto de partida inicial para evitar o bruxismo é a tentativa de diminuição do estresse psicológico do paciente, através de exercícios de relaxamento, massagem e, em alguns casos, fisioterapia.

Quais são os sintomas do bruxismo?

Bruxismo: descubra o que é, as causas e tratamento adequado
Bruxismo: descubra o que é, as causas e tratamento adequado. Foto: Canva Pro

Os sintomas relacionados à cavidade oral que indicam a presença de deste hábito seriam a hipermobilidade dentária na ausência de doença periodontal, pulpites, fraturas parciais de coroas e também a migração de dentes.

Além disso, esses sintomas podem estar restritos a um único dente, a uma região ou presentes em toda a boca.

Pode também ocorrer hipertonicidade dos músculos mastigatórios e dores de cabeça na região do músculo temporal. Também podendo aparecer como dor unilateral como enxaqueca, porém sem distúrbios neurológicos advindos dela.

Sobre a musculatura, o bruxismo pode provocar aumento do tônus e na atividade muscular, sobretudo no músculo masseter. Além de contraturas e espasmos musculares.

Com base nisso, a sintomatologia miofascial é determinada pela presença de dor muscular regional e de pontos sensíveis localizados, que se evidenciam quando palpados manualmente.

Ainda, em casos severos, o músculo hipertrofiado pode causar contração facial, trismo e alterações oclusais, alterando o padrão de abertura e fechamento da mandíbula, desta forma, ocasionando problemas na fala e mastigação.

Resumidamente, a dor e o desconforto na articulação temporomandibular (ATM) costumam ser as principais queixas dos pacientes.

Além de dificuldades mastigatórias, crepitação, ruido articular uni ou bilateral, limitação de abertura bucal, restrição dos movimentos e desvios na trajetória de abertura.

Como aliviar os sintomas?

O profissional deve analisar a etiologia da disfunção para determinar os métodos mais eficazes para o alívio dos sintomas. Contudo, dentre as maneiras disponíveis pode-se destacar o uso de medicamentos, geralmente relaxantes musculares, que atuam de modo a diminuir a tensão do paciente e consequentemente o bruxismo.

Além disso, é possível lançar mão do uso de placas miorrelaxantes, que são utilizadas para eliminar as desarmonias oclusais. Sendo este também um dos dispositivos de tratamentos disponíveis que falaremos em seguida.

Quem tem ansiedade pode piorar o bruxismo?

Sim. O bruxismo está sempre associado a um estado emocional alterado do paciente, ou seja, o estresse e ansiedade.

A ansiedade pode aumentar o tônus muscular da região da cabeça e pescoço e assim promover o hábito de apertamento dentário durante a vigia, ocasionado por mediadores emocionais.

É possível ter bruxismo acordado?

É sim possível ter bruxismo acordado. O bruxismo diurno é geralmente caracterizado como uma atividade semi-voluntária, ou seja, ocasionada de forma consciente pelo apertamento dental.

Sendo assim, a atividade parafuncional diurna consiste em apertar os dentes, ranger e em ter outros hábitos bucais envolvidos, como por exemplo: morder a língua e a bochecha e também morder objetos como lápis ou canetas.

Qual o melhor profissional para tratar o bruxismo?

Para o completo tratamento do bruxismo faz-se necessário uma equipe multidisciplinar, envolvendo profissionais como: dentistas, psicólogos e fisioterapeutas.

Afinal, a melhor terapêutica para esse paciente é primar pela sua qualidade de vida, desta forma, controlando a dor proveniente do apertamento dental.

No entanto, quando se refere ao profissional dentista, o mais capacitado para o tratamento e controle do bruxismo é o cirurgião dentista especialista em disfunção temporomandibular (DTM) e dor orofacial.

Quem tem bruxismo pode usar aparelho?

Pode sim. Mas, é fundamental que o paciente compreenda que a ortodontia não será capaz de eliminar os sintomas de bruxismo. Na verdade, o uso do aparelho ortodôntico contribui apenas para o alinhamento dos dentes, e não para a correção do distúrbio.

Portanto, a ortodontia não trata o bruxismo, já que essa doença não tem cura e, sim, controle.
Normalmente, o uso de aparelho ortodôntico não ajuda a melhorar o bruxismo, já que a forma como os dentes se encaixam (oclusão) ainda hoje, parecem ter um papel muito pequeno no desenvolvimento dessa parafunção.

Por isso, havendo uma mal oclusão, ou seja, dentes tortos ou que não se encaixam bem, é sim importante realizar o tratamento ortodôntico, afim de melhorar a estética, bem como, função.

Quem tem esse problema pode fazer implante?

O bruxismo severo é uma contraindicação para implantes dentários, entretanto, essa consideração ainda é muito questionável na literatura.

Afinal, o fracasso de um implante depende dos hábitos e da saúde sistêmica do paciente, além da condição cirúrgica e protética em que o procedimento é executado.

Sugere-se que o bruxismo pode causar uma sobrecarga nos implantes e como consequência gerar fraturas ou perda óssea, o que resulta em falha no implante.

Porém, quando é identificado uma fonte de carga adicional sobre o implante, ao montar um plano de tratamento, deve-se buscar meios de minimizar os possíveis efeitos adversos sobre o osso alveolar e implante.

Além do mais, a gravidade do bruxismo deve ser criteriosamente avaliada. Uma vez que, a colocação de implantes com o uso de placas oclusais, oferecem vantagens importantes, possibilitando uma distribuição mais uniforme de cargas.

Portanto, conclui-se que essa não é uma contraindicação absoluta, todavia, cuidados extras são necessários para evitar possíveis complicações.

Quem tem bruxismo pode fazer clareamento?

Pode, desde que não haja presença de lesões de abfração, decorrentes do bruxismo. Afinal, elas podem causar uma sensibilidade extrema e a arcada dental, como um todo, precisa estar em condições consideradas saudáveis.

No entanto, é muito importante enfatizar que quando realizado clareamento dental caseiro, a sua placa não substitui a placa de bruxismo, já que a placa de clareamento é confeccionada em silicone e é macia.

Ambas são moldadas em consultório, da mesma forma. Além do seu uso também ser diário, embora a de bruxismo seja indicada apenas para a noite, para dormir.

A diferença, além dos materiais de confecção, está na placa de bruxismo ser moldada somente para arcada superior, ao contrário, para o clareamento são necessárias tanto a superior quanto a inferior.

Nesse caso, pode ser mais indicado a realização de clareamento de consultório, onde não é preciso o uso de moldeiras.

Portanto, o ideal é que você consulte seu dentista e veja qual dos clareamentos é mais indicado para o seu caso em específico.

Quais os tratamentos disponíveis?

Bruxismo: descubra o que é, as causas e tratamento adequado
Bruxismo: descubra o que é, as causas e tratamento adequado. Foto: Canva Pro

Antes de citarmos os tratamentos disponíveis, é importante dizer que independentemente da terapêutica reabilitadora, em todos os casos o diagnóstico do bruxismo é primordial, para que seja realizado o correto tratamento de acordo com as necessidades individuais de cada paciente.

Infelizmente, sabe-se que sua remissão total é praticamente impossível. Sendo assim, é necessário uma abordagem multidisciplinar, usando terapias comportamentais e farmacológicas, juntamente com a terapia oclusal.

No entanto, a intervenção odontológica, destaca-se por ser uma das mais importantes, podendo ser feita de várias formas, conforme falaremos a seguir:

Terapia com placas oclusais

As placas oclusais, também conhecidas como placas miorrelaxantes, funcionam como meio de reduzir a hiperatividade muscular e levar a oclusão ideal, estabilizando a mandíbula através da reprogramação muscular e descumprimento da ATM.

Quando bem indicada, a placa miorrelaxante, apresenta um alto índice de sucesso, favorecendo a proteção dentária, bem como, muscular e articular.

Além de ser um método conservador, reversível e de baixo custo. Porém, ela só é efetiva enquanto o paciente estiver colaborando e ciente do seu correto uso. Além do mais, ela não deve ser usada como único meio de tratamento, mas sim em conjunto com outros métodos.

Terapia oclusal

Envolve basicamente o ajuste oclusal. Embora a condição oclusal exerça mínima influência sobre o processo, como falamos anteriormente, o ajuste oclusal, método considerado irreversível, pode ser indicado para minimizar os danos gerados pelo ranger de dentes.

No entanto, é importante ressaltar que a terapia oclusal deve ser usada somente quando o desgaste dental ocasionado pelo bruxismo não tenha alterado a dimensão vertical de oclusão (DVO).

Por isso, o tratamento restaurador é praticado apenas quando há uma oclusão harmoniosa não podendo ser alcançada apenas por ajuste oclusal, devido a severidade do desgaste que possivelmente causou perda de estrutura dental.

Aplicação de Toxina Botulínica

A aplicação de toxina botulínica para o tratamento de bruxismo é benéfica por atuar no relaxamento da musculatura mastigatória. Desta forma, reduzindo a dor e possibilitando uma função mandibular apropriada, diminuindo também o ranger de dentes.

A toxina botulínica é aplicada nos músculos masseter e temporal e, além disso, seus efeitos duram cerca de 3 a 6 meses, sendo necessária uma nova aplicação posteriormente.

Entretanto, esse tratamento apresenta como desvantagem o alto custo, além de requerer um profissional habilitado para a aplicação da mesma, sendo portanto indicada, para casos de bruxismo mais severo.

Uso de medicamentos

O uso de relaxantes musculares é indicado como um tratamento temporário, afim de reduzir a tensão do paciente e consequentemente, o bruxismo.

É essencial que o paciente esteja ciente que uma vez suspensa a medicação, o hábito parafuncional poderá se reinstalar, além de o uso de medicamentos apresentar riscos de dependência química.

Tratamento Psicológico

Consiste na terapia comportamental e é uma das partes mais importantes do tratamento, baseada na higiene do sono, controle do estresse, bem como, técnicas de relaxamento.

Afinal, o tratamento do bruxismo deve ser direcionado à causa quando este envolver problemas psicológicos, como estresse, ansiedade e depressão.

Aplicação de TENS (Transcutaneous Electrical Nerve Stimulation)

Consiste na administração de uma corrente elétrica na superfície cutânea, promovendo o relaxamento dos músculos hiperativos e consequentemente, alívio da dor. Não é invasivo e visa o controle da dor crônica, tendo como objetivos:

  • Diminuir os efeitos de carga e dor musculoesqueléticas.
  • Relaxamento da musculatura.
  • Redução da inflamação.
  • Restauração da função do paciente.

Considerações finais sobre o bruxismo

Apesar de várias terapias já serem testadas, o problema pode ser crônico e trazer muitos problemas, como já relatamos aqui. Desta forma, caso desconfie que tem bruxismo, procure um profissional para ter assistência o quanto antes.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitarconsulte Mais informação