Alimentos Para Comer Antes de Dormir

Saiba quais os aimentos para comer antes de dormir e tenha um sono tranquilo

alimentos para comer antes de dormir

Para ter um sono tranquilo, você tem que ter atenção ao que ingere antes de deitar e tem que saber quais os alimentos para comer antes de dormir. Nada de café e doces, por exemplo. O ideal é optar por alimentos desestimulantes, ou seja, que não lhe fornecerão mais energia.

O sono serve para o corpo entrar em modo de repouso e para o cérebro descansar. Enquanto dormimos, o nosso cérebro repara várias coisas que estão mal no nosso organismo. Se você tem dificuldade de adormecer, deve incluir na sua dieta as infusões, principalmente de camomila e melissa.

Existem mesmo alimentos para dormir melhor. Na hora da janta, aposte no consumo de ovos, leite e derivados, folhas escuras, como o espinafre e legumes. Se quer ingerir carne, opte pelas brancas, dê preferência ao peru. Se gosta muito de frutas, evite as laranjas e coma bananas e morangos.

Fazer alguns exercícios leves antes de ir para a cama podem ser a chave para uma excelente noite de sono. Aproveite ainda e saiba agora qual o melhor colchão disponível no mercado para ter uma noite ainda mais tranquila.

Alimentos para evitar antes de dormir

hipocretina

Quer dormir melhor? Comece por cortar as bebidas alcoólicas. Quem faz happy hour tem 80% de chances de dormir mal. Apesar de o álcool causar sonolência, não é uma boa opção para ter uma noite de sono decente.

Os chocolates escuros e os produtos com cafeína como o café e o chá verde também devem ser evitados. Diminuir a ingestão de proteínas à noite também ajuda a reduzir os níveis de hipocretina no horário certo. Como vimos, a hipocretina tem que variar no nosso organismo, não podemos tê-la nem em excesso, nem em falta.

Se você preza a sua relação com seu travesseiro, diga adeus às comidas com muita gordura e condimentos. Este tipo de alimento pode causar coisas indesejadas, como azia ou dores de barriga. Isso pode impedir que você durma ou fazer você acordar no meio da noite. Comer bacon no jantar pode não ser uma boa ideia, melhor deixar para o café da manhã.

Evite a bebida alcoólica

Além dos alimentos pesados e gordurosos que todos devemos evitar algumas horas antes de dormir, outra coisa a se evitar é a ingestão de bebida alcoólica. Engana-se quem pensa que beber aquela cervejinha ou taça de vinho já na cama acalma.

No início a sensação é mesmo de calmaria, de paz e de bem-estar. Contudo, de acordo com especialistas, a ingestão de álcool piora em até 40% a qualidade do sono. Isso se deve ao fato de que essas bebidas fazem com que nós pulemos etapas importantes nesse ciclo que é dormir.

Além disso, quanto mais você repetir esse hábito, mais viciado seu cérebro e o seu sistema ficarão. Eles precisarão cada vez mais desse “estímulo” para que você possa adormecer.

Pare de fumar

hipocretina

O cigarro e seu consumo excessivo diminuem drasticamente os níveis de hipocretina no cérebro. Pesquisas mostram que os fumantes tem 50% mais chances de desenvolverem narcolepsia, depressão e distúrbios do sono que pessoas saudáveis.

Além disso, o cigarro diminuiu a sua disposição física para praticar exercícios com frequência. Sem falar que os fumantes estão em constante risco de ter problemas cardíacos, pulmonares, envelhecimento precoce, diversos tipos de câncer e impotência.

Alimentos para comer antes de dormir

A escolha correta dos alimentos que você irá ingerir no jantar ou mesmo no pós-janta é imprescindível para que sua noite de sono seja 100% de qualidade. Como você já sabe, aquele cigarro e aquele copo de álcool antes de se deitar está fora de questão. Assim como alimentos muito calóricos, pesados ou gordurosos.

Mas quais são, afinal, os alimentos para comer antes de dormir e descansar? Opte por tudo aquilo que tiver nutrientes capazes de relaxar efetivamente o seu sistema nervoso. Opte por um copo de leite, uma banana e mesmo um abacate amassado com um pouco de sal.

Esses alimentos liberam a melatonina, já que possuem triptófano. A melatonina é o hormônio responsável por regular o seu sono. Sem ela você terá insônias crônicas e terríveis, que o privarão completamente de uma boa noite de sono.

Veja abaixo outros alimentos que deve dar preferência antes de dormir:

  • Abacate
  • Banana
  • Chás não estimulantes
  • Gelatina sem açúcar
  • Iogurte magro
  • Oleaginosas
  • Ovo cozido
  • Queijo quark
  • Queijos brancos

O que comer no jantar?

Confira alimentos que devem estar em um jantar leve e nutritivo, para ter um sono calmo e regenerador.

Carboidratos complexos

As batatas assadas ou fritas, arroz branco e massa carregada de molho estão completamente fora de questão. Mas os carboidratos complexos, como o arroz integral, são super bem-vindos ao seu cardápio noturno.

Se acha trabalhoso fazer o arroz, opte por carboidratos complexos mais simples. Maçã, amendoim, grão-de-bico, feijão preto e até berinjela podem ser boas escolhas. Há uma porção de alternativas aqui das quai você pode se aproveitar.

Gorduras insaturadas

alimentos para comer antes de dormirmos

As gorduras insaturadas se dividem em dois tipos: poli-insaturadas e monoinsaturadas. Apesar de serem chamadas de “gorduras boas”, seu consumo exagerado pode levar ao ganho de peso, o que também prejudica na qualidade do seu sono.

Ainda assim, dentre os alimentos para comer antes de dormir, estão os melhores. Imagine um pratinho com abacate, amendoins torrados com um pouquinho de azeite de oliva por cima. É um prato ideal para quem quer ter uma boa noite de sono, já que é moderadamente completo em gorduras monoinsaturadas.

Agora se preferir um filé de salmão com semente de linhaça e óleo de soja, também é uma boa pedida. O importante é não exagerar. Consuma porções bastante pequenas, pois a noite não é o momento ideal para grandes banquetes.

Por fim, prestar atenção ao horário que você come também é importante. Especialistas explicam que o ideal é comer no máximo três horas antes de dormir.

 

 

 

Fonte bibliográfica:

  • De Castro J.M. The time of day of food intake influences overall intake in humansJ. Nutr. 2004;134:104–111

Crédito das imagens: Freepik