Plataforma Vibratória Funciona? Vale a Pena?

Saiba se plataforma vibratória funciona mesmo para emagrecer e a importância desse aparelho de ginástica

plataforma vibratória funciona

Será que plataforma vibratória funciona mesmo para emagrecer?  Fomos atrás de alguns dados para mostrar a se vale ou não a pena ter uma na sua casa.

A plataforma vibratória é um aparelho de ginástica muito popular, que auxilia o seu corpo no emagrecimento e na definição muscular. Através de vibrações intermitentes, a plataforma é capaz de trabalhar os seus músculos de uma forma mais localizada, ajudando a promover a tonificação.

Divisora de águas, há quem não acredite que até a melhor plataforma vibratória funcione mesmo. Pesquisas, no entanto, já comprovaram que sim, o aparelho traz resultados de verdade a quem o usa.

Plataforma vibratória funciona mesmo para emagrecer?

Apesar de ser um aparelho mais caro, a plataforma é ótima para quem quer estimular ainda mais o crescimento muscular. Para as mulheres pode inclusive ajudar no tratamento da celulite. A vibração do corpo todo faz com que você consiga atingir mais níveis de contração.

Isso não quer dizer que você não conseguirá obter o mesmo efeito fazendo outras atividades físicas. Porém, com o auxílio da plataforma fica mais fácil chegar nos resultados que você tanto deseja.

Além disso, ela faz com que você tenha uma recuperação muscular mais rápida. Quem usa o aparelho tem menos chance de ter problemas musculares e articulares. E isso não é à toa! A plataforma vibratória é muito utilizada na fisioterapia.

Plataforma vibratória: como funciona

Com a combinação correta de exercícios, você pode facilmente perder até dez quilos em pouquíssimo tempo. A plataforma vibratória funciona perfeitamente nesse tipo de treino, em que o circuito dita o seu ritmo.

Em casa, com um aparelho desses, você pode fazer 30 minutos por dia de exercícios para tonificar coxas, glúteos, braços e barriga. Muitos vídeos no Youtube ensinam a utilizar a plataforma sem o auxílio de um profissional.

Esses treinos fazem você queimar 400 calorias sem sentir. As vibrações aliadas às repetições com pesos e força fazem com que você trabalhe o corpo todo em poucos minutos. Algumas pessoas até chamam esse tipo de atividade de exercício econômico.

E a plataforma vibratória Polishop funciona mesmo?

Além dos treinos aeróbicos, você pode ainda optar pelos treinos funcionais, em que você trabalha mais uma parte do corpo de cada vez. Algumas plataformas vem com acessórios para isso.

Você pode utilizar cordas e pesos para fazer exercícios localizados nos membros inferiores e superiores. A plataforma vibratória Polishop funciona mesmo dessa forma. Com os acessórios que ela traz você é capaz de queimar e tonificar ao mesmo tempo.

Plataforma vibratória resultados e benefícios: antes e depois

Uso na fisioterapia

As vibrações são ótimas para problemas articulares e para o fortalecimento muscular. Na fisioterapia, a plataforma vibratória é utilizada na reabilitação de pessoas que se submeteram a cirurgias ou lesões.

Além disso, o aparelho é bom para trabalhar o equilíbrio e aliviar os sintomas da perda óssea em idosos. Como a plataforma também melhora a circulação sanguínea, ela é altamente indicada para idosos e pessoas que tenham doenças decorrentes da má circulação.

Aliás, a plataforma vibratória é uma invenção russa dos anos 1970 e foi criada para suprir necessidades dos astronautas que sofriam com a falta de gravidade no espaço. Os resultados foram tão positivos que o aparelho passou a ser comercializado para o público geral menos de uma década mais tarde.

Melhores exercícios para plataforma vibratória

Comprou a sua e não sabe o que fazer? Há muito mais do que apenas subir na plataforma e ficar lá vibrando em pé! Você pode fazer séries de agachamento durantes as vibrações, por exemplo.

O agachamento é potencializado na plataforma. E o bom desse exercício é que ele possui diversas variações, como o sumô, pistola, com barra e com peso. Se você fizer dois tipos por dia na plataforma, vai ficar com as coxas saradas em poucas semanas.

Alguns exercícios são mais recomendados, principalmente aqueles que são maioritariamente realizados com o peso do seu próprio corpo. A flexão na plataforma é realmente ótima para trabalhar o tríceps e o peito com maior eficiência.

A prancha na plataforma é outra opção de intensificação do treino. Mas atenção, essa opção não é para quem está começando! Ela exige mais força e concentração do que parece.

Aproveite e leia o nosso artigo sobre o que comer antes do treino.

Como utilizar a plataforma vibratória?

Um outro exercício bacana de fazer utilizando o aparelho é a passada e o glúteo. Você pode subir com uma perna de cada vez e fazer as repetições ao longo da vibração. Normalmente a vibração dura entre 30 segundos e um minuto.

Para um melhor desempenho, vale a pena contratar um profissional como um personal trainer e aprender alguns treinos para depois fazer sozinha. Também recomenda-se ir a uma aula de plataforma vibratória na academia.

Plataforma vibratória: contraindicações

plataforma vibratória contraindicações

Como tudo na vida, a plataforma vibratória também possui algumas contraindicações. O seu uso deve ser evitado por pessoas que:

  • Possuam processos inflamatórias cutâneos;
  • Usem marcapasso;
  • Tenham trombose aguda, flebite, embolia ou qualquer outro tipo de problema relacionado;
  • Estejam em quadro pós-operatório;
  • Estejam grávidas;
  • Tenham osteoporose em estágio avançado.

Além desses problemas citados acima, o uso de aparelho por epiléticos é altamente desaconselhado. Pessoas com câncer também devem evitá-lo, salvo aconselhamento médico.

A plataforma vibratória também não é indicada para quem esteja sofrendo de enxaquecas, crise de hérnia, doenças cardiovasculares não-controladas, portadoras de Dispositivo Intra-Uterino (DIU), pessoas em crise de cálculo renal, crianças e portadores de próteses ortopédicas.

Quem possui pinos e placas de metal também deve estar alerta. Na dúvida, o ideal é consultar um médico para ter certeza de que você está liberado para esse tipo de exercício.

 

 

 

 

 

Fontes bibliográficas:

  • Batista, M. A., Wallerstein, L. F., Dias, R. M., Silva, R. G., Ugrinowitsch, C., & Tricoli, V. (2008). Efeitos do treinamento com plataformas vibratórias. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 15(3), 103-114.
  • Lemos, T. V., & Pereira, L. M. (2012). Efeitos da plataforma vibratória no sistema musculoesquelético. Revista Movimenta, ISSN, 5(3), 2012.

 

Crédito das imagens: Freepik