Cicatriz de acne: Como prevenir? E se você tem, como cuidar?

Formadas pela falta de tratamento ou por mexer nas espinhas de forma errada, as cicatrizes de acne podem afetar a autoestima

Durante a pandemia da covid-19 houve um crescimento, principalmente nas pessoas que pertencem a Geração Z, na preocupação com o cuidado da pele, principalmente do rosto. Também houve um aumento do desejo de ter uma imagem mais natural, o que por vezes é prejudicado por cicatrizes ou manchas no rosto.

Cicatriz de Acne

A Dra. Julia Ocampo, dermatologista especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, avisa sobre a importância de não mexer em espinhas: “Quando uma espinha surge, é a expressão de um estado inflamatório e precisa de cuidados específicos. Ao tentar extraí-la de forma improvisada e, muitas vezes, com as mãos sujas, o processo inflamatório aumenta e a pele fica ainda mais machucada, podendo assim ter sequelas tais como manchas e cicatrizes de acne ou, pior, que toda essa lesão evolua para um processo infeccioso grave. “

Por mais que muitas vezes pareça que uma acne tenha ido embora após ser extraída – a famosa cutucada – muitas vezes ela volta e pode piorar se tiver contato com outras bactérias. Entretanto, não é só o fato de espremer uma espinha que causa a cicatriz.

Se a inflamação estiver em uma camada mais profunda da pele e o pus não for liberado, as enzimas que ficam nesse líquido podem prejudicar as células saudáveis, causando lesões que posteriormente viram a cicatriz. O melhor caminho para tratar a acne e evitar que as cicatrizes surjam é entender que a acne não é simplesmente uma característica do adolescente. E sim um processo inflamatório da pele que precisa ser tratado adequadamente e acompanhado por um profissional, o médico dermatologista.

Leia também: Por que exagerar no chocolate pode causar acne? Entenda os riscos para a sua pele

Tratamento adequado

Tratar acne é prevenir as sequelas que esta condição pode acarretar: manchas, cicatrizes e um profundo impacto na auto-estima do paciente. Para evitar que isso aconteça é necessário ter um acompanhamento dermatológico e seguir o tratamento indicado para cada tipo de pele. Uma pele seca, precisa de uma hidratação mais pesada e por isso irá usar produtos que forneçam isso, já uma pele oleosa, precisa sim de hidratação, mas os produtos precisam seguir outra composição, que não piore essa oleosidade. O mesmo serve para peles com rosácea, acne e manchas, cada uma terá seu tratamento.

“É fundamental procurar um especialista assim que surgir alguma situação atípica com a pele como, por exemplo, excesso de espinhas inflamadas e doloridas, manchas ou qualquer outro sintoma. Claro, em muitos casos as pessoas já chegam com as cicatrizes, mas sempre que possível, o melhor é tratar e evitar essa consequência. Agora, para cuidar das cicatrizes de acne, existem alguns tratamentos possíveis, como o uso do bioestimulador, que irá melhorar a firmeza da pele, microagulhamento e diversas técnicas, que inclusive podem ser associadas.” completa Dra. Julia Ocampo.

Hoje é possível buscar diversos tratamentos para cuidar das cicatrizes, como preenchimento com ácido hialurônico, microagulhamento, bioestimulador, peelings e uso de dermocosméticos focados no desenvolvimento do colágeno. Entretanto, cada caso terá um plano de tratamento e para avaliar qual funcionará melhor é necessário sempre buscar atendimento médico.

Leia mais: Lipedema: excesso de gordura localizada pode ser sinal de problema vascular

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitarconsulte Mais informação