Tudo Sobre Graviola: o Que É e Para Que Serve?

graviola

Conheça todos os benefícios da graviola e surpreenda-se!

A graviola é uma das frutas mais populares do Brasil. Conhecida também como Fruta-do-Conde e até mesmo como Jaca do Pará, é vista pela medicina popular como um alimento repleto de benefícios à saúde. Sendo fonte de vitaminas, de fibras e de muitos outros nutrientes, é presença necessária em todos os cardápios,

Essa fruta lembra muito a jaca, por ter um formato oval, mas é ligeiramente diferente. Sua casca é verde-escura, com alguns espinhos por toda sua extensão. Mas é sua polpa, branca, adocicada e com uma leve acidez, que importa. Com ela é possível preparar os mais diversos pratos, desde sucos naturais e vitaminas a receitas vegetarianas e veganas especiais.

Graviola: benefícios à saúde

fruta graviola

Existem uma porção de estudos que buscam provar as vantagens e até mesmo as contraindicações do consumo da graviola para a saúde. Há quem diga que graviola cura câncer, por exemplo, mas será que isso  é mesmo verdade? Ela emagrece ou engorda?

Confira abaixo 10 benefícios desse alimento e fique surpreendido com tudo de maravilhoso que ela pode fazer no seu corpo.

1. Ajuda a proteger o coração

O principal motivo para que a fruta tenha um importante papel na saúde do coração é a alta concentração de potássio em sua composição. O potássio, como bem se sabe, é responsável por auxiliar a reduzir a pressão arterial.

Uma pressão arterial baixa evita ataques cardíacos e até mesmo derrames. Portanto unir a graviola a uma dieta com outros alimentos benéficos ao coração é uma atitude preventiva e inteligente.

2. Melhor a circulação do sangue

Aqui nós temos dois compostos importantes que transformam a fruta numa amiga da boa circulação sanguínea. Em primeiro o lugar o potássio, mais uma vez, visto que ajuda a dilatar os vasos sanguíneos. Isso é ótimo se pensarmos que vasos dilatados facilitam a passagem do sangue para todo o corpo.

A graviola ainda é composta por ferro. O ferro é um mineral que se encontra em grande quantidade nesse alimento, sendo atuante na melhoria do sistema circulatório. Fornece energia para as células do sangue, sendo importante para a formação dessas células.

3. Estimula as defesas do organismo

Boa parte de ter um sistema imunológico forte e reforçado está relacionada com uma alimentação saudável. A graviola deve fazer parte dessa alimentação, visto que contém boas taxas de vitamina C.

A vitamina C, como se sabe, é responsável pela produção de glóbulos brancos. Os glóbulos brancos são os grandes combatentes dos radicais livres. Os radicais livres aumentam o estresse oxidativo nos órgãos e nos tecidos de todo o corpo.

Um suco de graviola detox ou um chá de graviola, se não quiser comer a fruta, podem lhe fornecer boas doses dos nutrientes necessários. Esse alimento ainda é capaz de prevenir surgimento de alguns vírus menos complexos, como gripes simples.

4. Pode auxiliar no controle da diabetes

graviola controla diabetes

Infelizmente a diabetes é um dos maiores males que podem nos atingir. De acordo com algumas pesquisas, no entanto, a graviola pode ajudar no seu controle. Há fitoquímicos presentes na fruta, principalmente no chá de graviola, que previnem picos de glicose no sangue.

5. É um alimento antioxidante

Todo alimento antioxidante é necessário para evitar o envelhecimento do organismo em geral. A graviola, por sua vez, possui químicos como flavonoides, taninos, fitoesterois e saponinas. Essas substâncias reduzem o envelhecimento precoce, mantém as células saudáveis por mais tempo, uma vez que eliminam os radicais livres.

6. Melhora a saúde dos olhos

Os mesmos antioxidantes presentes na graviola são incríveis na melhoria da saúde ocular. Além das substâncias mencionadas acima, podemos acrescentar a presença de vitamina C e de vitamina E. Há, ainda, zinco e betacaroteno. Todos esses elementos previnem a degeneração ocular.

7. É bactericida e anti-inflamatória

Se você tem dores graves e constantes, provocadas por inflamações, saiba que a graviola pode lhe ajudar de modo intenso nisso. Problemas como artrite e até reumatismo podem ser aliviados, visto que essa fruta é bastante anti-inflamatória.

As propriedades da fruta, mas principalmente da folha de graviola transformada em chá, podem reduzir os efeitos da gota. A gota, como se sabe, é um problema causado pelo excesso de ácido úrico no organismo. O chá da fruta diminui a concentração desse ácido, o que eventualmente pode diminuir a intensidade dos sintomas.

A graviola e seu chá são também bactericidas. Bactérias que causam cárie e gengivite, além de fungos, podem ser evitadas com a ingestão regular do alimento.

8. Contribui para o emagrecimento

graviola emagrece

As vitaminas do complexo B presentes na graviola ajudam a estimular processos metabólicos em todo o organismo. Esses processos têm papel fundamental no emagrecimento e na formação de músculos, assim como no aumento da energia geral do corpo.

A melhoria no funcionamento do metabolismo do corpo significa que você acabará queimando mais gordura sem qualquer esforço físico, em repouso. Além disso, quando praticar atividades físicas, perceberá que a queima calórica é ainda mais intensa.

9. Promove boa digestão

Ninguém gosta de comer e de se sentir estufado, cheio, como se a comida toda estivesse entalada na garganta. Esse é apenas um dos vários sintomas de uma digestão ruim. Saiba, contudo, que nossa Fruta-do-Conde é eficaz na resolução desses problemas.

A graviola conta com uma porção de minerais, de vitaminas e de compostos anti-inflamatórios que atuam em todas as partes do processo digestivo. Ela auxilia a evitar, portanto, condições como cólica, diarreia, azia, retenção de líquidos, constipação, inchaço e indigestão.

Essa fruta é também uma grande reparadora da fauna e da flora intestinal.

10. Pode ser benéfica na luta contra tumores

Perceba o cuidado que temos no uso das palavras acima ao dizermos que a graviola pode ajudar no combate a células com tumor e, portanto, cancerígenas. Falamos isso com ressalvas, visto que os estudos acerca desse benefício da fruta ainda estão em curso, sem muitos resultados conclusivos a respeito.

Fato é que esse alimento contém um antibiótico natural super potente, a acetogenina, que, segundo algumas pesquisas, pode ajudar a prevenir o surgimento de certos tumores. Cânceres de garganta, de mama, da cervical e do pulmão estariam entre os tipos possivelmente evitados pelo consumo de graviola.

Isso se daria pela atuação de substâncias presentes na fruta diretamente nas células cancerígenas. Elas bloqueariam as principais fontes de energia, levando-as à morte.

É preciso, no entanto, que mais pesquisas sejam realizadas em torno do potencial anticancerígeno da graviola antes de emitir qualquer posicionamento definitivo sobre o assunto.

Malefícios da graviola

malefícios da graviola

Quando falamos na graviola, fruta adocicada e ao mesmo tempo fresquinha, parece que não encontramos qualquer tipo de contraindicação a respeito de seu consumo. Como essa fruta ainda passa por uma série de estudos, no entanto, há alguns efeitos negativos que ela pode causar em seu organismo, dependendo de alguns fatores.

1. Pode causar intoxicação alimentar

Tudo que é consumido em excesso, faz mal. E com a graviola não é nada diferente! O consumo exagerado da fruta pode causar uma grave intoxicação alimentar. Isso se deve ao fato de que a casca do alimento é rica em dois elementos que contém altas doses de ácido cianídrico: a anonine e a anonaine.

Para quem não sabe, o ácido cianídrico é um elemento sem cor e potencialmente fatal se consumido em grandes quantidades.

2. Pode levar a náuseas

Outro perigo do excesso no consumo da fruta é sentir-se nauseado. Ânsias de vômito, tonturas, sedação são alguns dos possíveis sintomas aliados à já mencionada intoxicação alimentar.

3. É capaz de baixar em demasia a pressão arterial

Se você tem pressão baixa por natureza, jamais coma essa fruta. Como vimos acima, um de seus benefícios é dilatar os vasos e baixar a pressão arterial. Quando você tem hipertensão, tudo bem. Se não for o caso, pode se sentir muito mal e até mesmo desmaiar. Por isso fique atento!

4. É possível que leve ao Mal de Parkinson

contraindicações da graviola

Apesar de todos os benefícios desse alimento, inclusive o de possivelmente ajudar no combate a tumores, pode ser que ele não seja assim tão bom para você. Estudos conduzidos recentemente mostram a presença de alguns alcaloides na fruta, que seriam responsáveis pela degeneração de neurônios. Essa degeneração causa disfunções neurológicas, entre elas o Mal de Parkinson.

5. Mata bactérias boas

A fruta é uma grande bactericida, o que significa que ela mata bactérias que procuram interferir em nosso organismo. O problema é que, com um consumo regular e por vezes exagerado, há grandes chances de as bactérias boas também serem eliminadas.

Essa eliminação pode acarretar em alguns problemas, principalmente intestinais. Isso causa, portanto, o efeito inverso do benefício mencionado anteriormente. Em vez de ajudar na saúde digestiva e intestinal, a fruta pode prejudicar esses processos.

6. Pode levar ao aborto

Mulheres grávidas devem passar bem longe dessa saborosa frutinha. Algumas propriedades escondidas dessa fruta podem provocar contrações desnecessárias às gestantes. Em alguns casos, é possível que ocorra aborto.

Como você pode ver, a graviola não é assim tão milagrosa e tão perfeita como a medicina alternativa e popular acredita. Ela possui, infelizmente, a capacidade de alterar seu organismo de forma negativa, principalmente se você consumir essa fruta em excesso.

O indicado, como deve ser com tudo na vida, é consumir esse alimento com moderação. Além disso, experimente consultar um nutricionista ou outro especialista alimentar que possa lhe confirmar se deve se alimentar com a graviola e qual a quantidade recomendada.

Da mesma forma, jamais substitua seus medicamentos receitados por médicos e profissionais da medicina pela fruta. Ela, assim como outros alimentos, não deve ser vista como um medicamento, como um fármaco. O papel dela é apenas auxiliar na melhoria de diversas funções de seu organismo.

Chá, suplemento ou graviola fruta: como comer ou consumir?

chá das folhas de graviola

Existem uma variedade de formas de consumo desse alimento. O mais saboroso, como é óbvio, é partir a fruta ao meio e deliciar-se com sua polpa doce. Há a possibilidade de ingerir chá das folhas da graviola, assim como consumir as cápsulas do suplemento feito a partir dela.

Independente de qual será a sua escolha, saiba que os efeitos em seu organismo serão praticamente os mesmos. A suplementação é indicada para atletas, por exemplo, ou para pessoas que queiram emagrecer com auxílio de remédios.

É possível fazer um suco a partir da fruta, se desejar algo mais refrescante. Basta misturá-la com água e outras frutas, como laranja e maçã. Bata tudo no liquidificador e sirva como manda o seu gosto. Se preferir comer a fruta in natura, tire toda a casca, como faria com o abacaxi.

O chá, por sua vez, deve obrigatoriamente ser feito a partir das folhas da fruta. Essas folhas podem ser encontradas em sua versão seca em lojas especializadas ou até mesmo determinados supermercados. Uma vez que estiver de posse das folhas, tudo que tem a fazer é preparar uma infusão com água fervendo.

Receitas com graviola

Engana-se que por ser uma fruta a graviola tenha que ser consumida apenas em pratos doces. Se você souber usar a criatividade, verá que esse alimento pode e deve ser consumido em receitas variadas. Isso facilita a inclusão da fruta em seu dia a dia, deixando tudo mais saboroso.

Pensando nisso, separamos uma porção de receitas para estimular você. São sobremesas, pratos para refeições principais e até lanchinhos da tarde. Todas as receitas são razoavelmente baratas e não exigem muito trabalho. É colocar a mão na massa e se deliciar. Confira tudo e fique com água na boca!

Caçarola de frango com graviola

Um frango bem temperado tem seu valor! Agora que tal misturá-lo à graviola para adquirir um contraste de sabor inesquecível?

Ingredientes:

  • Metade de uma graviola, sem as sementes;
  • 600 gramas de filé de frango;
  • Meia cebola picada;
  • Um tomate sem sementes e sem pele cortado em cubinhos;
  • Uma colher de sopa de manteiga;
  • Um dente de alho picado;
  • Salsa picada a gosto;
  • Meio copo de vinho branco;
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto.

Modo de preparo:

Em primeiro lugar derreta a manteiga em uma panela. Adiciona a cebola e o alho e deixe refogar. Acrescente o vinho, a salsa, o tomate e a graviola. Espere refogar tudo por dois minutos antes de adicionar os filés de frango já temperados a gosto.

Após adicionar o frango, baixe o fogo e deixe que cozinhe por cerca de quinze ou vinte minutos. Assim que estiver pronto, sirva com um acompanhamento de sua preferência. Esse é um prato que combina muito bem com um arroz à grega, por exemplo.

Filé de peixe ao molho de graviola

receitas com graviola

Que tal agora transformar essa fruta em um molho super especial? Ele pode ser servido junto a todos os os tipos de carne, mas nesta receita acompanha um filé de peixe que ficará incrível se seguir a receita abaixo!

Ingredientes:

  • 200 gramas de graviola;
  • 250 gramas de filé de peixe;
  • Uma cebola média picada;
  • Uma xícara de chá de molho branco;
  • Uma xicará de chá de manteiga sem sal;
  • Uma xícara de chá de creme de leite fresco;
  • Um dente de alho picado;
  • Salsa picada a gosto;
  • Uma xícara de chá de vinho branco;
  • Uma xícara de chá de vinagre;
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto.

Modo de preparo:

Tempere o filé de peixe apenas com sal e pimenta-do-reino. A pimenta, na verdade, é até um pouco dispensável, pois pode tirar um pouco do sabor da carne. Assim que temperá-la, grelhe o peixe em uma chapa.

Para preparar o molho, una a manteiga, a cebola, um pouco do vinho branco e a graviola em uma panela. Vá adicionando mais vinho, o creme de leite, vinagre, sal e o molho branco. Assim que o molho atingir a consistência que você desejar, sirva por cima do peixe grelhado. Batatas assadas com azeite de oliva e com alecrim são bons acompanhamentos a esse prato.

Tortinhas de graviola com coco e com chocolate

Agora você já conhece duas receitas simples e muito saborosas para seus almoços ou mesmo jantas saudáveis, que tal aprender a fazer um doce com a graviola? Ela fica realmente especial em sobremesas e em lanches leves e saudáveis.

A receita que você verá a seguir é rápida de fazer e não exige muitos conhecimentos na cozinha. É para conquistar a todos os paladares!

Ingredientes do recheio:

  • 600 gramas de graviola;
  • 150 gramas de coco ralado;
  • Meia xícara de chá de açúcar;
  • Duas unidades de canela em pau;
  • Duas unidades de cravo-da-Índia;
  • Uma unidade de anis.

Ingredientes da ganache:

  • 250 gramas de chocolate ao leite de sua preferência;
  • Meia xícara de chá de creme de leite.

Ingredientes da massa:

  • Três colheres de sopa cheias de açúcar;
  • Uma xícara de chá de margarina ou de manteiga sem sal;
  • Duas xícaras e meia de farinha de trigo.

Modo de preparo:

Vamos começar pelo que dá mais trabalho: a massa. Separe um refratário e adicione a margarina, o açúcar a farinha de trigo. Feito isso, misture tudo durante cinco minutos até obter uma massa homogênea. Por fim, adicione uma colher de sopa de água. Sove a massa por mais cinco minutos, cubra-a com plástico-filme e deixe descansar na geladeira por pelo menos vinte minutos.

Depois de passado esse tempo, cubra as laterais e o fundo de forminhas para tarteletes. Asse por trinta minutos em forno preaquecido a 180º. Retire do forno apenas quando estiverem douradinhas. Reserve.

Para fazer o recheio, leve uma panela ao fogo médio. Adicione a graviola, o cravo, a canela, o açúcar, o coco e o anis. Cozinhe e mexa bem até que apareça o fundo da panela. Desligue o fogo e reserve.

Quanto à ganache, leve o chocolate ao leite ao micro-ondas, junto do creme de leite. A potência deve ser média, e o tempo deve ser de dois minutos e meio. Na metade do processo, abra o aparelho e mexa bem para que derreta o chocolate e para que a ganache ganhe corpo.

Para montar as tortinhas, coloque uma colher de sopa cheia da ganache no fundo da massa e cubra com um quarto da graviola. Faça isso com todas as tortinhas e pronto!

Sorvete de graviola

sorvete de graviola

Para os amantes do verão e das sobremesas geladas, nada como um saboroso e refrescante sorvete de fruta. O que você aprenderá a fazer a seguir é exótico e tem um sabor inesquecível!

Ingredientes:

  • Uma graviola de tamanho pequeno;
  • Uma colher de sopa de raspas de limão siciliano;
  • Uma colher de sopa de suco de limão siciliano;
  • Uma xícara de açúcar;
  • Duas caixas de creme de leite.

Modo de preparo:

O primeiro passo é abrir a graviola no meio e retirar todas as suas sementes. Se quiser, pode separar algumas dessas sementes para decorar o sorvete antes de servir.

Leve a polpa da fruta ao liquidificador, mas faça isso aos poucos, para garantir que ela será completamente triturada. Após, adicione as raspas de limão. Bata para que os dois elementos se tornem homogêneos. Agora reserve.

Selecione uma panela, adicione meia xícara de chá de água e o açúcar. Leve a panela ao fogo e vá mexendo sempre sem parar, para que o açúcar derreta. O ponto exato é uma calda de fio médio, o que você pode obter deixando em fogo baixo por cerca de oito minutos, mas sem mexer. Ao término, transfira a calda para uma tigela e deixe que esfrie.

Depois de esfriar, adicione à calda a mistura de graviola com raspas de limão e o suco de limão. Misture tudo de forma bastante delicada. Cubra a mistura com um plástico-filme e leve ao freezer por cerca de quatro horas.

Passado o tempo, há, ainda, mais uma etapa: você deve colocar o sorvete na tigela da batedeira, acrescentar os cremes de leite e bater até que tudo fique firme. Leve novamente ao freezer para que fique gelado. Agora é só servir. Não esqueça de decorar com as sementes de graviola ou mesmo com raspas de limão.

Fonte: Research Gate

Fontes bibliográficas:

  • Mors, W. B., Rizzini, C. T., & Pereria, N. V. (2000). In R. A. DeFilipps, (Ed.), Medicinal Plants of Brazil Algonac, MI: Reference Publications.
  • Meyer, T. M. (1941). The alkaloids of Annona muricata. De Ing Nederland-Indie, 8, 64–70.
  • Caparros-Lefebvre, D., & Steele, J. (2005). Atypical parkinsonism on Guadeloupe, comparison with the parkinsonism-dementia complex of Guam, and environmental toxic hypotheses. Environmental Toxicology and Pharmacology, 19, 407–413

Crédito das imagens: Unsplash