Home Notícias Rinite alérgica e estresse: entenda essa relação

Rinite alérgica e estresse: entenda essa relação

A rinite alérgica pode estar relacionada com o estresse; entenda

A primeira coisa que vem à nossa mente ao pensarmos em alergias que são ligadas ao emocional é a dermatite. No entanto, a rinite alérgica é um tipo de alergia que vem sendo bastante associado ao estresse, mesmo que poucas pessoas tenham conhecimento disso.

Segundo informações divulgadas em um artigo científico, o estresse ultimamente vem sendo considerado um dos muitos gatilhos para o mal. Sua identificação foi feita entre um grupo seleto de indivíduos alérgicos que foram entrevistados.

Tanto por isso, vamos comentar sobre essas e outras questões relacionadas ao assunto para você entender melhor acerca do nosso lado emocional refletindo no físico. Confira!

Leia mais: Conheça 21 benefícios do abacaxi para saúde e veja receitas

Rinite e Estresse
Rinite e estresse: entenda essa relação. Foto: Freepik

Entenda como acontece a associação da rinite alérgica com o estresse

Para entender essa relação, à priori, devemos entender o que é a rinite alérgica. Esse é um tipo de reação inflamatória que ocorre no nariz, sofrido pelo sistema imunológico quando entra em contato determinadas substâncias que estão presentes no ambiente. Por exemplo: poeiras, bolores, fungos, ácaros, pólen, pelos de diversos animais, etc.

Já a rinite e o estresse têm a ver com o efeito que o emocional acaba provocando em todo o sistema imunológico. Afinal, de uma maneira geral, o estresse mexe com o organismo como um todo. E não estamos falando de ficar estressado com um episódio “grandioso” em específico, por exemplo, o falecimento de um membro da família. Os pequenos acontecimentos, as pequenas preocupações contribuem tanto quanto para derrubar a imunidade, bem como desequilibrar o organismo.

Essa explicação vem de especialistas otorrinolaringologistas, como a Dra. Francini Pádua. De acordo com a médica, a imunidade baixa favorece as alterações fisiológicas do nariz. Dessa forma, o organismos infeccioso tem uma maior possibilidade de se acomodar dentro da região nasal.

Outra questão é que o vírus que causa o resfriado usa o mesmo receptor da rinite alérgica dentro do organismo. Portanto, o estresse pode acabar ativando essas duas doenças ao mesmo tempo.

Estresse e rinite
Rinite e estresse: entenda essa relação. Foto: Freepik

Como identificar uma crise de rinite associada ao estresse

Para ter uma melhor identificação de um quadro alérgico de rinite associado ao lado emocional, é preciso ficar atento a algumas questões. Por exemplo, os sintomas são bem parecidos com os de uma gripe ou resfriado, mas com sutis diferenças.

Confira também: Tudo Sobre Graviola: o Que É e Para Que Serve?

Assim, aqueles que sofrem com a rinite alérgica emocional apresentam sintomas como:

  • Espirro;
  • Coriza;
  • Coceiras nos olhos e no nariz;
  • Olhos avermelhados e lacrimejando;
  • Nariz entupido;
  • Entre outros.

A diferença para a rinite “comum” é que o quadro não é desencadeado por contato com um agente externo. Dessa forma, aparece repentinamente, em geral, associada a um evento triste, depressivo, etc.

O tratamento nesses casos

O tratamento recomendado envolve estratégias diferentes. Para os casos mais brandos a moderados, a utilização dos descongestionantes nasais por via intranasal ou via oral ajudam bastante, bem como assim como corticoides e anti-histamínicos.

Mas, como se sabe que a rinite associada ao estresse não tem a ver com um agente alérgico em específico, afastar-se dos gatilhos nervosos é uma ótima solução. É importante procurar estratégias diversificadas para o alívio da tensão diária, como o consumo de chás, fazer exercícios físicos, manter uma boa alimentação, praticar atividades relaxantes, entre outras coisas.

É válido também procurar ajuda médica especializada nesses casos de rinite alérgica. O tratamento para ansiedade e/ou depressão pode ser um adicional que refletirá em outras partes do organismo, tal como no sistema respiratório. Cuidar da mente vai contribuir muito para a melhora dos sintomas.

Gostou desta matéria? Acompanhe nossas redes sociais: Facebook, Instagram, TwitterPinterest.

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

Avatar
Andreia Eliza de Souza
Redatora, amante de livros, artes e culinária. Apaixonada por redação publicitária e jornalística, trabalho na área há anos, me dedicando ao universo político e feminino.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Os mais lidos

O que é auxílio residual e a quem ele se destina? Entenda agora mesmo

Auxílio residual - No primeiro dia do mês de setembro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou a prorrogação do auxílio emergencial para mais...

Aromaterapia: saiba como usar os aromas e qual a utilidade de alguns deles

A aromaterapia é um terapia holística bastante antiga, datada de mais de seis mil anos. A propósito, existem relatos de povos debatendo como usar...

Ministério da Saúde anuncia novo medicamento para Psoríase no SUS; saiba mais

O Ministério da Saúde publicou ontem (21) no Diário da União a informação de que será disponibilizado um novo medicamento para Psoríase no SUS...

Estudo americano aponta que mortes por overdose podem ter sido registradas como parada cardíaca

Um estudo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos apontou que mortes por overdose podem ter sido registradas como parada cardíaca. Essa informação chama...