Pesadelo feminino, sangramento menstrual intenso e instável é doença e tem cura

O sangramento uterino anômalo é mais comum no início e no final da idade fértil: 20% dos casos ocorrem em meninas adolescentes e mais de 50% ocorrem em mulheres com mais de 45 anos de idade.

216
sangramento
Sangramento uterino anômalo tem cura (Foto: Andrea Piacquadio)

Um dos maiores pesadelos femininos, o sangramento intenso e instável, é considerado uma doença e tem cura, informa a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO).

O ciclo menstrual é considerado anormal quando há perda excessiva de sangue, que acaba atrapalhando as atividades físicas, sociais, sexuais e profissionais, bem como colocando em risco a qualidade de vida da mulher.

De maneira idêntica, pode levar ainda à deficiência de ferro e, consequentemente, à anemia, condição que causa fraqueza e cansaço.

O nome disso é Sangramento Uterino Anormal (SUA), afeta uma a cada três mulheres e classifica alterações da menstruação decorrentes de aumento no volume, na duração ou na frequência.

A perda média de sangue é de cerca de 30 a 40 mL por ciclo, ou seja, até 8 absorventes internos regulares por ciclo menstrual. Se está usando mais do que isso, é bom procurar um ginecologista.

Causas do Sangramento Uterino Anômalo

O sangramento uterino anômalo é mais comum no início e no final da idade fértil: 20% dos casos ocorrem em meninas adolescentes, ao passo que mais de 50% ocorrem em mulheres com mais de 45 anos de idade.

O fluxo menstrual excessivo também pode ser sintoma de outras patologias, como problemas no útero ou alterações hormonais. Portanto, é fundamental que a mulher procure um médico.

O sangramento uterino anômalo em geral ocorre quando a concentração de estrogênio permanece elevada em vez de diminuir, como normalmente acontece depois que um óvulo é liberado e não é fecundado.

A concentração elevada de estrogênio não é compensada por uma concentração adequada de progesterona. Dessa forma, o espessamento anormal é chamado de hiperplasia do endométrio.

A FEBRASGO afirma ainda que a causa pode ser a presença de lesões endometriais, tais como pólipos endometriais e miomas submucosos. Dessa maneira, o tratamento cirúrgico pode ser indicado.

Segundo estudos, pode ser ainda distúrbios da hipófise, ou tireóide, síndrome do ovário policístico, ou outros distúrbios que sejam causas comuns de sangramento anormal, assim como de coagulação.

sangramento
SUA pode ser tratado com remédios ou cirurgicamente (Foto: Andrea Piacquadio)

Tratamento

Muitos tratamentos são efetivos para o sangramento menstrual intenso, de tal forma que podem ajudar a controlar os sintomas e melhorar consideravelmente a qualidade de vida.

Antes de tudo, é receitado um medicamento para controlar o sangramento, que pode ser anti-inflamatório não esteroide (AINEs), terapia com pílula anticoncepcional ou DIU hormonal.

Além de controlar o sangramento, os contraceptivos orais diminuem a sensibilidade nos seios e as cólicas que podem acompanhar o sangramento.

Se células anômalas estiverem presentes, são indicadas doses elevadas de uma progestina ou progesterona ou, às vezes, a remoção do útero.

Independentemente da intensidade de sintomas, o sangramento menstrual intenso requer avaliação médica para o tratamento adequado.

Fonte: Sangramento Uterino Anormal

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here