Casos de reinfecção por Coronavírus: o que se sabe até o momento?

Veja o que já se sabe sobre a reinfecção por coronavírus

0
214
População em meio à pandemia / Fonte: BBC News Brasil
População em meio à pandemia / Fonte: BBC News Brasil

Na última semana 24/08/20, após um caso de reinfecção por Coronavírus, cientistas da faculdade de Medicina da Universidade de Hong Kong confirmaram aquilo que mais se temia: sim, é possível contrair Covid-19 mais de uma vez.

O fato ocorreu após uma pessoa ter testado positivo para a doença em um teste de triagem no aeroporto de Hong Kong. Cinco meses atrás, ele ficou internado por duas semanas, diagnosticado com a doença. Mas, desta vez, ele não teve sintomas.

Hoje, o Saúde Lab traz os detalhes. Continue a leitura!

Além deste caso, outros quatro foram anunciados desde então em quatro países diferentes: Bélgica, Estados Unidos, Equador e Holanda.

No entanto, os pesquisadores afirmam que “as análises epidemiológicas, clínicas, sorológicas e genômicas confirmaram que o paciente teve reinfecção em vez de disseminação viral persistente desde a primeira infecção”.

Leia mais: Aparelho alemão promete regenerar ossos

Os outros casos de reinfecção por Coronavírus

O paciente holandês é idoso e tem um sistema imunológico já enfraquecido, noticiou a emissora NOS. Não há relatos de que o caso tenha sido grave.

Assim como o paciente chinês, o paciente da Bélgica também teve sintomas leves na segunda vez em que ficou doente, em junho. A primeira havia sido em março.

Já no quarto caso, confirmado no Equador, o paciente de 46 anos teve Covid-19 em maio e voltou a ser infectado em agosto. Os sintomas foram mais intensos desta vez, porém ele não chegou a ficar em estado grave.

Neste caso, um teste genético mostrou que os vírus que o deixaram doente são de variedades diferentes do Sars-Cov-2, disse o Instituto de Microbiologia da Universidade San Francisco de Quito, que identificou o caso.

reinfecção por coronavírus
População na pandemia / Fonte: Reprodução BBC News Brasil

Além disso, nos EUA também foi anunciada uma possível reinfecção por Coronavírus. Um homem de 25 anos do Estado de Nevada adoeceu de novo, apenas um mês depois de se curar da doença.

De acordo com os pesquisadores, tais testes genéticos confirmam que os episódios foram causados por duas variedades diferentes do novo coronavírus, mas estes estudos ainda não foram revisados por pares, ou seja, ainda não foram verificados por outros cientistas.

O que significam esses casos de reinfecção de Covid-19?

O presidente da Sociedade Brasileira de Virologia, Fernando Spilki, afirma que já era esperado que uma pessoa pudesse ser infectada pelo coronavírus mais de uma vez. E que isto é comum com vírus, ainda mais aqueles que causam uma doença aguda, como esta.

Por outro lado, a infectologista e professora da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Raquel Stucchi, também ressalta a capacidade que os vírus da família do Coronavírus têm de se regenerar e de obter mutações.

“Isto é uma característica desses vírus, que têm uma capacidade maior de sofrer mutações. O que parece é que, se uma pessoa desenvolve imunidade, isso acontece contra uma variedade específica do coronavírus e não contra outras”, explicou.

A especialista ainda afirma que, até o momento, existem cerca de 500 cepas diferentes do novo Coronavírus. E que a maior dúvida é saber como nosso corpo reage a cada uma delas.

Ou seja, isso vale como um alerta para aqueles que pensavam estar a salvo por já terem contraído Covid-19 e que poderiam ‘relaxar medidas’ como uso de máscaras e distanciamento social.

Covid-19 mais uma vez: O que ainda precisamos descobrir?

reinfecção por coronavírus
Os que precisamos saber? Foto: Freepik.

A informação de que podemos contrair o Coronavírus mais de uma vez, é fato. Porém pouco se sabe sobre a reinfecção por Coronavírus. É necessário mais estudos para entender qual costuma ser a carga viral do paciente na segunda infecção.

Vale ressaltar que o relato de ter apenas cinco episódios de reinfecção registrados, de um total de mais de 25 milhões de casos em todo o mundo, não é um dado expressivo para afirmar que se reinfectar seja comum ou frequente, por exemplo.

A carga viral, ou quantidade de vírus que carregamos no corpo influencia na facilidade com que transmitimos a doença. “Se a carga viral for mais alta, é motivo de preocupação”, diz Spilki.

Porém,  quanto à gravidade, Stucchi afirma que “Por enquanto, não há motivo para alarde. Tivemos só um paciente grave”.

O que dizem sobre a vacina para Covid-19

No entanto, a pesquisa para encontrar uma vacina para a Covid-19 está a todo vapor. Os cientistas travam uma guerra, na corrida contra o tempo, para produzir e disponibilizá-la à população.

Todavia há consenso sobre a vacina ser uma boa opção para eliminar ou minimizar os efeitos da pandemia.

Manter os cuidados para prevenir. Será que é importante?

Assim saber sobre a carga viral, ou seja, a quantidade de vírus que carregamos no corpo influencia na facilidade com que transmitimos a doença. “Se a carga viral for mais alta, é motivo de preocupação”, diz Spilki.

Porém,  quanto à gravidade, Stucchi afirma que “Por enquanto, não há motivo para alarde. Tivemos só um paciente grave”. Mas, que esta também precisa ser estudada.

Desse modo, é importante que a população continue com a prevenção para evitar a infecção e a reinfecção por coronavírus. Seguir as orientações do Ministério da Saúde e Órgãos Competentes sobre como se cuidar para não contrair e/ou disseminar a Covid-19.

Vale lembrar:

  • use a máscara sobre o nariz e o queixo;
  • lave as mãos com frequência;
  • evite tocar nos olhos, nariz e boca;
  • evite aglomerações e exposições desnecessárias;
  • procure Atendimento médico se você apresentar tosse, febre ou falta de ar.

Leia mais sobre o novo Coronavírus no Saúde Lab e fique bem informado!

Compartilhe e siga nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter e Pinterest

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here