Marco Antônio Villa faz críticas a Jair Bolsonaro e ao Conselho Federal de Medicina

Comentarista político cita o presidente da República como principal culpado pela crise de coronavírus no Brasil

0
452
Marco Antônio Villa faz críticas a Jair Bolsonaro e ao Conselho Federal de Medicina
Marco Antônio Villa faz críticas a Jair Bolsonaro e ao Conselho Federal de Medicina

O professor, historiador, escritor e comentarista político Marco Antônio Villa, fez duras críticas ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) e ao Conselho Federal de Medicina, por como estão agindo durante o período de pandemia no Brasil. Através de seu canal de Youtube, que leva seu nome, com 518 mil inscritos, Marco Antônio Villa lamentou por diversas vezes o número de 135 mil mortos em função do coronavírus.

Na opinião dele, o principal culpado de o número de óbitos no país seguir subindo vertiginosamente, é o presidente da República e a sua falta de ações de combate direto ao vírus.

Ele também cita o Conselho Federal de Medicina como órgão omisso, por não defender a ciência como deveria e cobrar de maneira contundente, um posicionamento do presidente da República.

Marco Antônio Villa faz críticas a Jair Bolsonaro e ao Conselho Federal de Medicina
Marco Antônio Villa faz críticas a Jair Bolsonaro e ao Conselho Federal de Medicina (Foto: Jornal Opção)

Leia mais: UFRJ cria teste rápido contra a Covid-19, até 20 vezes mais barato

População não está sensibilizada, diz Villa

Villa ressalta que é provável que haja ainda mais mortos por causa da doença. Isso porque, existe a possibilidade de haver subnotificação em vários locais do país.

Ele também cita estranheza pelo fato de a população, em sua visão, estar aceitando o aumento diário de mortes por Covid-19, sem fazer reclamações mais contundentes contra o líder do Palácio do Planalto.

“Já estamos ultrapassando 135 mil óbitos, uma tragédia. É inacreditável. E vale ressaltar que alguns estimam que o número é próximo aos 200 mil. Ou seja, houve subnotificação porque em muitos lugares não sabiam identificar, então lançaram com outra coisa e a vida seguiu. Mas oficialmente são 135 mil óbitos. Mesmo assim, não causou nenhum impacto na população. Tem criticado autoridades preocupadas com a saúde pública, como prefeitos, governadores (…)”, diz, assim o comentarista político.

Bolsonaro é o culpado, afirma

Marco Antônio Villa cita, diretamente, o presidente Jair Bolsonaro como o maior culpado pelas mortes por Covid-19 no Brasil.

“A questão que se coloca é o que deveria ter sido feito lá atrás e que poderia evitar parte desses óbitos é o lockdown, que não foi feito. E o principal responsável por isso é Jair Bolsonaro. Acabou. Ele tem as mãos sujas de sangue. Mas dentro das suas doenças, é um psicopata, ele acha normal morrer 135 mil pessoas. E olha o que esse homem, que ficará marcado na história brasileira como o pior presidente da história republicaNa e como responsável pela morte de 135 mil brasileiros. Ele foi visitar, foi ao norte do Mato Grosso, diz o seguinte: “conversinha mole de ficar em casa é para os fracos”. É criminoso ou não é? Ou é exagero dizer isso?”, disse.

Críticas diretas ao Conselho Federal de Medicina

Além disso, Villa também critica o Conselho Federal de Medicina por não se posicionar neste momento em defesa da vida humana.

“O Conselho Federal de Medicina está caladinho. Estranho, hein? Eu gostaria que os senhores se pronunciassem publicamente. Vivemos a pior pandemia da história do Brasil (…)”.

Em suas argumentações, o professor ainda questiona se existiria uma suposta identificação ideológica no Conselho.

“(…) Os senhores brigaram por causa da história dos médicos cubanos. Eu briguei por outra razão, porque eles não recebiam salários. Os senhores brigavam por preconceito. Tem Revalida? Tem, eu sei que tem. Mas e o que está acontecendo agora, os senhores não falam nada? Por quê? Identificação ideologia ou vale a ciência? Tenho o direito de perguntar. Ou não? A sociedade brasileira precisa dar uma sacudida. Essa indiferença tem que acabar”, desabafou.

Existe desinteresse e indiferença pelos mortos, diz Villa

Segundo o comentarista, existe no país um desinteresse pelas pessoas que estão perdendo a vida para o vírus, assim como indiferença e negacionismo por parte do presidente da República.

“Temos um misto de negacionismo, de indiferença, de desinteresse pelo outro e ainda tem um comportamento de rebanho em relação ao mandrião (Jair Bolsonaro, presidente da República) que tem suas mãos sujas de sangue e ninguém fala nada. Medo de quê? O que esse homem pode fazer? Nada. Ele estava sem máscara, fomentou aglomerações”.

Acusa ainda o perigoso incentivo que Bolsonaro tem feito ao uso da cloroquina e hidroxicloroquina (que não possuem comprovação científica). As medicações podem ter causado muitas mortes pelo mundo.

“(…) a hidroxicloroquina matou muita gente, inclusive no Brasil, e ele é o responsável. E ninguém tem coragem de dizer isso. São brasileiros ou bananas? Ele não para de cometer crimes e todo mundo assiste, dá risada ou fica indiferente(…)”, assevera.

Ainda não houve comoção nacional

Para Villa, só haverá comoção nacional caso uma pessoa popularmente “importante” venha a falecer por causa do vírus.

“No caso do coronavírus, da pandemia, a impressão que dá é de que os 135 mil que morreram não são importantes. Se não são importantes, não criam manchetes e nem comoção nacional. Precisa morrer alguém importante para haver comoção nacional e o Brasil acordar e responsabilizar Jair Bolsonaro como responsável pela morte desses 135 mil brasileiros. É como se fossem mortos invisíveis e que pouco importa, principalmente se forem pobres, negros, favelados”, desabafou.

Leia também: Reabertura INSS será nesta segunda (14/09): confira medidas de segurança contra Covid-19 adotadas nas agências

Assista ao vídeo no qual Villa critica Bolsonaro e o Conselho Federal de Medicina:

Leia ainda: Vacina russa contra a Covid-19 já está em circulação; confira

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here