Doações de órgãos no Brasil caíram 40% com pandemia; 46 mil estão na fila

Até 31 de julho, haviam 46.181 pacientes aguardando por um transplante.

0
162
Doações de órgãos
Doações de órgãos no Brasil caíram 40% com pandemia; 46 mil estão na fila (imagem: Ministério da Saúde)

O País está enfrentando mais um problema – As doações de órgãos no Brasil caíram 40% esse ano. A propósito, doar é uma ação voluntária e pode salvar muitas vidas que dependem de um órgão para continuar vivendo.

Atualmente, esse é um problema que tem se agravado devido à queda significativa de doadores no decorrer da pandemia.

Doações de órgãos no Brasil caíram 40% com pandemia; 46 mil estão na fila (imagem: Associação Brasileira de Transplante de Órgãos)

Tendo isso em vista, no dia 27 de setembro é comemorado o Dia Nacional de Incentivo à Doação de Órgãos, e a proposta é de que essa data sirva para conscientizar e alertar a população sobre este delicado problema, que chega muitas vezes sem avisar e então, bate a nossa porta.

Dessa maneira, por ser uma questão de relevância, tanto para a Saúde Pública como socialmente, há uma urgência para que pessoas se sensibilizem a se tornarem doadores, assim a campanha perdura o ano todo na esperança de obter resultados positivos.

Acompanhe mais para saber aqui no SaúdeLab.

Leia tambémSetembro verde é o mês de conscientização para a doação de órgãos; 45 mil estão na fila

Ministério da Saúde lança campanha para incentivar a doação de órgãos

Doações de órgãos
Doações de órgãos no Brasil caíram 40% com pandemia; 46 mil estão na fila Foto – Pixabay

Vale ratificar, que a falta de doações de órgãos é tema de grande preocupação das autoridades de saúde, e segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde (MS) entre janeiro e julho deste ano, foram feitos 9.951 procedimentos deste tipo. Porém, já no mesmo período em 2019, o número foi de 15.827. Ao passo que até 31 de julho, haviam 46.181 pacientes aguardando por um transplante.

Por isso, após a apuração das estatísticas e comprovado o decréscimo nos atendimentos, o Ministério da Saúde lançou no dia 24 de setembro durante a reunião da Comissão Intergestores Tripartite, a Campanha Nacional de Doação de Órgãos 2020. O tema da edição deste ano é “Doe órgãos. A vida precisa continuar”.

Tipos de doação de órgãos

Observe, hoje existem dois tipos de doação:

  • a primeira ocorre quando um potencial doador não se declara, em documento, para que após sua morte seus órgãos sejam utilizados para transplante, com o consentimento de sua família;
  • e a segunda é a doação expressa, que ocorre quando o doador carrega consigo uma carta ou documento que demonstre a vontade de doar seus órgãos após sua morte. Tal manifestação também pode ser verbal para os familiares, que devem finalmente autorizar a retirada dos órgãos.

Nessa perspectiva, a partir da doações de órgãos, no Brasil é feito vários transplantes. Entre eles podemos citar: de córnea, de fígado, de pele, de medula óssea, de rim etc., porém o de rim tem a maior fila de espera no momento.

Confira também: Transplante de rim: vítima do caso Backer receberá o órgão da sua esposa

Dúvidas sobre doação de órgãos

Doações de órgãos
Doações de órgãos no Brasil caíram 40% com pandemia; 46 mil estão na fila Foto – Pixabay

Abaixo esclarecemos as principais dúvidas envolvendo a doação de órgãos.

Quem pode ser doador de órgãos?

A princípio, todas as pessoas devem ser consideradas como potenciais doadores de órgãos e tecidos, independentemente de idade, saúde, raça ou etnia. Não se exclua! Ninguém é muito velho ou muito jovem para ser um doador.

E se eu tiver um problema de saúde?

Entenda, mesmo se você tiver uma doença ou condição de saúde pode ser elegível para doar seus órgãos ou tecidos após sua morte.

Entretanto, se surgir um problema no momento da morte, os médicos examinarão os órgãos e determinarão se eles são adequados para o transplante. Apenas algumas condições impedem, absolutamente, uma pessoa de ser um doador, como câncer ativo ou infecção sistêmica.

Com que idade uma pessoa pode ser doador de órgãos?

De acordo com a Legislação Brasileira, desde recém-nascidos e idosos em seus 90 anos são doadores. A saúde dos órgãos é mais importante do que a idade.

Posso ser um doador vivo?

Embora a maioria das doações venha de doadores falecidos, alguns órgãos (rins, parte do fígado, pulmão, pâncreas ou intestinos e alguns tecidos) podem ser doados por doadores vivos. Na maioria das vezes, os doadores vivos doam um rim.

Doação viva

Quem pode se registrar como doador?

Enfim, para doar é necessário ter mais de 18 anos. Qualquer pessoa com mais de 18 anos pode se registrar como doador de órgãos, olhos e tecidos. Eles podem escolher o que querem doar e podem alterar sua preferência a qualquer momento.

E então, que tal registrar essa vontade de ser doador de órgãos e ajudar a salvar vidas?

Gostou da matéria? Compartilha, comente e siga nossas redes sociais: FacebookInstagramTwitter Pinterest.

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here