Máscara: “Quem se recusa a usar é antissocial”, diz estudo

Estudo mostra que indivíduos menos empáticos não se preocupam com uso da máscara

146
máscara
Máscara: "Quem se recusa a usar é antissocial", diz estudo / Foto: Reprodução

Em tempos de pandemia, o uso de máscara, além de ser uma questão de sobrevivência e proteção, é também de amor ao próximo. No entanto, ainda há pessoas que resistem em usá-las.

Contudo, um estudo brasileiro, realizado entre março e junho, publicado na revista Personality and Individual Differences, concluiu que quem reluta em usar máscara é uma pessoa com perfil antissocial.

De acordo com os autores, o objetivo do estudo era analisar a relação entre os traços antissociais e o cumprimento das medidas de contenção adotadas contra a Covid-19.

A pesquisa contou com a participação de 1.578 adultos, com idades entre 18 e 73 anos. Eles responderam a um questionário, chamado PID-5, que avalia as características de personalidade e ressonância afetiva das pessoas.

Leia mais: Cores nas máscaras: saiba como a cromoterapia pode auxiliar nessa pandemia

máscara
Mascara contra o vírus / Foto: Avaré

Entendendo o questionário sobre máscaras

Entretanto, a ressonância afetiva é o impulso que um ser humano tem de agir de acordo com os sentimentos causados por outra pessoa. Neste caso, referente ao uso de máscaras durante a pandemia.

No questionário, os avaliados responderam a perguntas sobre o uso de máscara, distanciamento social e demais medidas obrigatórias, de defesa contra o novo Coronavírus.

E, como resultado, foram encontrados dois perfis de pessoas: um de padrão antissocial, resistente a medidas de proteção contra a Covid-19; e outro padrão de empatia entre aqueles que cumpriram as medidas preventivas contra o coronavírus.

Todavia, no primeiro perfil, que foi maioria, foram encontradas características como  insensibilidade; engano; hostilidade; impulsividade; irresponsabilidade; manipulação e comportamentos de risco.

Ainda de acordo com os autores, esses traços são característicos de pessoas com diagnóstico de transtorno de personalidade antissocial, uma doença psicológica comportamental.

máscara
Criança mais velha usando máscara

E as crianças podem usar máscara?

No caso dos pequenos, não é recomendado o uso de máscara, pelo menos em crianças recém-nascidas até a idade de dois anos.

Isto se deve ao fato de que no início da vida é preciso ter cautela na utilização destes equipamentos de proteção individual. Uma vez que o uso de máscara e de barreira facial pode resultar em asfixia dos pequeninos.

Em síntese, as pessoas que relutam em usar máscaras e que desafiam as normas de prevenção teriam mais características associadas a transtornos de personalidade antissocial.

E, ao não reagir aos sentimentos provocados por outras pessoas, estariam mostrando que não se importam muito com o bem comum. Uma lástima, tendo em vista que a pandemia é como uma reação em cadeia, onde uns dependem dos outros numa via de mão dupla.

Fonte: CNN

Gostou desta matéria? Acompanhe as nossas redes sociais: Facebook, Instagram, Twitter e Pinterest.

Deixe seu comentário

Grupos do SaúdeLab

SaúdeLab no WHATSAPP
SaúdeLab no TELEGRAM

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here