Como a Dieta Afeta a Menstruação?

menstruação e dieta

O que você come pode interferir na sua menstruação

A menstruação feminina pode ser influenciada por uma variedade de fatores internos e externos. Muitas vezes, o ciclo menstrual sofre mudanças que parecem não ser importantes, mas são uns dos principais indicadores de uma boa saúde.

Não é um grande problema se o ciclo vier mais curto ou mais longo às vezes, mas isso pode ser a prova de algum problema no organismo. Ou, simplesmente, esse é um sinal de que você precisa mudar a sua dieta.

Como está o seu ciclo?

A maioria das mulheres conhecem a frequência e intensidade dos seus ciclos. E sabem também o quão inconveniente pode ser quando há alguma irregularidade. Para se ter uma noção, o ciclo menstrual feminino pode durar entre 24 e 35 dias, sendo que o mais comum são os 28 dias.

O ciclo menstrual é considerado irregular se a menstruação vier antes de 21 dias ou durar mais de 8 dias seguidos. Se a mulher não estiver menstruando durante três meses e se não estiver grávida ou na menopausa, esse também é um sinal de que algo está errado. A menstruação é regulada pelos hormônios estrogênio, progesterona e testosterona.

Estudos comprovam que a dieta pode sim afetar esses hormônios e, consequentemente, todo o ciclo menstrual. Manter uma dieta balanceada, saudável, cheia de alimentos ricos em nutrientes é crucial para manter um ciclo saudável.

Ciclos atrasados ou adiantados demais pode ser um sinal de que você precisa mudar sua dieta.

Veja abaixo alguns exemplos de como a falta ou o consumo exagerado de alguns nutrientes pode afetar o seu ciclo menstrual:

menstruação e dieta

Menstruação adiantada: razões e soluções

A menstruação vir antes do tempo previsto é um incômodo. Mais ainda se o fato for recorrente. Isso pode ser causado principalmente pelo alto consumo de proteínas ou de alimentos industrializados.

Já percebeu que ultimamente as crianças tem menstruado cada vez mais cedo? Essa é uma das provas que a dieta afeta a menstruação. Estudos comprovam que uma dieta rica em carne e proteínas pode adiantar a menstruação em meninas entre 7 e 12 anos. A carne é uma boa fonte de zinco e ferro.

Estes nutrientes são bem requisitados pelo corpo durante a gravidez. O aumento do seu consumo pode passar a mensagem para o sistema reprodutor feminino de que ele está pronto para gerar uma vida.

A puberdade antecipada tem ligação direta com a alimentação durante a infância. Como nos dias atuais temos mais facilidade de encontrar carnes, as garotas estão começando seus ciclos mais cedo do que suas mães e avós.

O alto consumo de proteínas não afeta só as garotas na menarca (como é chamada a primeira menstruação) precoce. Ciclos adiantados podem ocorrer em mulheres adultas adeptas da dieta low carb, por exemplo, pelo mesmo motivo. O programa alimentar da dieta low carb promove o aumento do consumo de proteínas, como vamos explicar mais adiante.

Sobrepeso também tem influência na menstruação:

Quem está acima do peso também pode sofrer com a menstruação vindo cedo demais, por conta da alta concentração de gordura no corpo e no sangue. O mesmo pode acontecer inclusive simplesmente com quem mantém uma dieta rica em gorduras não benéficas.

Altos níveis de gordura trans no organismo desregulam os hormônios, fazendo com que o ciclo fique mais curto. De todo modo, seja como esteja o seu peso, atenção ao consumo de alimentos processados e industrializados!

Eles podem ser a causa de irregularidades na sua menstruação. Sabe quem pode ser um ótimo aliado nesse caso? Sementes de linhaça. Elas contêm um fitoestrógeno chamado lignana, que tem um efeito estrogênico e que pode ajudar a regular os níveis hormonais.

Menstruação atrasada: como evitar?

Dieta e menstruação atrasada tem tudo a ver. Uma dieta com baixo nível de gordura, por exemplo, pode afetar o ciclo menstrual. Consumir uma quantidade apropriada desse nutriente é essencial para balancear os níveis hormonais.

Lembrando que são as gorduras boas e não as trans. Estudos descobriram que a falta de ômega 3 (encontrado em peixes como o atum e nas oleaginosas) contribui para ciclos atrasados.

Ele ajuda a liberação dos hormônios estrogênio e progesterona e regula a menstruação. A falta de ômega 3 é responsável também pelas mudanças repentinas de humor e de sintomas da depressão. Uma dieta consideravelmente baixa em gorduras boas pode até ser a causa da completa falta de sangue durante o ciclo, às vezes durante mais de três meses, o que faz mal à saúde.

Por exemplo, esse é um dos sinais clínicos para diagnosticar anorexia. Em seguida, entenda abaixo mais alguns exemplos de dietas e restrições alimentares que podem alterar o seu ciclo menstrual:

menstruação

Dieta low carb e menstruação

A dieta low carb consiste em cortar a ingestão de carboidratos para diminuir os níveis de açúcar no sangue. Ela é uma das mais procuradas por quem quer perder peso. Mas, se não feita com cuidado, a dieta low carb altera a menstruação.

O princípio dessa dieta é retirar do cardápio os pães, massas, biscoitos, arroz e os outros alimentos ricos em farinhas. Sem estes alimentos na rotina, sente-se a necessidade de substituí-los.

Por isso que, sem carboidratos, o consumo de grãos e proteínas é maior no programa da dieta low carb. Os nutricionistas geralmente recomendam que inclusive as frutas consumidas sejam de baixo teor de carboidratos e açúcares. Por exemplo, quem segue o método tem como opção frutas como melancia, maçã, melão e alguns cítricos como limão.

Falando em frutas, aquela que é mais a cara da dieta low carb é o abacate. Ele está liberado pois é rico em boas gorduras, diminui o colesterol do organismo e dá sensação de saciedade. Cada abacate contém por volta de 2 gramas de proteínas, o que pode ajudar a aumentar os níveis desse nutriente e gerar irregularidades na menstruação.

A dieta low carb, por promover uma ingestão maior de ovos, carnes e alimentos ricos em proteínas, leva a antecipar a data do ciclo. O resultado é uma menstruação regulada pelo simples fato da nova dieta. Se não feita com acompanhamento e cuidado, a dieta low carb desregula a menstruação.

Sabia que as fibras podem ser vilãs?

Sabemos que o consumo de fibras são importantes para a saúde, como diminuir o colesterol e controlar os níveis de açúcar no sangue. Mas, se não consumidas corretamente, o seu efeito pode ser reverso e causar irregularidades no ciclo menstrual.

Alguns estudos têm relacionado a substância encontrada em frutas, vegetais e grãos, à redução dos níveis de estrogênio. Dietas baseadas em altos níveis de fibras, como a dieta paleo, podem alterar
a menstruação. Entenda melhor a seguir.

Dieta paleo e menstruação

A dieta paleo, também chamada de paleodieta ou dieta paleolítica, tem como base o estilo de alimentação dos nossos ancestrais. Ela volta às nossas origens, quando o homo sapiens comia apenas o que encontrava naturalmente em seu habitat. A dieta paleolítica consiste em se alimentar de carnes, frutas e vegetais, assim como sementes e oleaginosas encontradas na natureza.

A ideia é consumir apenas o que o homem comia antes da era da agricultura e pecuária moderna. Não são permitidos alimentos industrializados de nenhuma forma, açúcar, sal, batatas, óleos vegetais refinados, laticínios e nem cereais. Esta dieta tem sido procurada para quem quer perder peso e ter mais saúde, mas também é um estilo de vida.

Ela promove um jeito mais “limpo” de se alimentar, e se difere da dieta low carb pois não permite carnes processadas e nem o uso de sal nos alimentos. Também encoraja o consumo maior de frutas e vegetais, mesmo que tenham alto teor de açúcar natural.

Se as refeições não forem planejadas com cuidado, muitos nutrientes podem ser perdidos e outros consumidos em demasia, como as fibras. Isso pode causar algumas disfunções no organismo, como menstruação atrasada. O consumo recomendado de fibras para adultos é de 25 a 30 gramas por dia.

Exagerar pode reduzir a ovulação em até 10 vezes, causando atraso ou falta de menstruação. A fibra diminui a absorção do estrogênio pelo cólon. Fibras em excesso também podem “barrar” o intestino de expelir o hormônio.

Altos níveis de estrogênio podem causar, por outro lado, fluxos menstruais intensos. No caso, o ideal é chegar a um equilíbrio sempre. A dieta paleo também aumenta o consumo de proteínas e, como falado anteriormente, pode também adiantar o ciclo menstrual.

menstruação

Álcool e menstruação

E tem mais: aquele happy hour com as amigas também pode ser a causa de irregularidades no ciclo. Estudos afirmam que mesmo o mais baixo nível de álcool pode aumentar os níveis de estrogênio e testosterona. Inclusive até quantidades que não afetam rins nem outros órgãos.

Consequentemente, essa alteração hormonal tem ligação direta com a ovulação. O consumo de álcool em certos momentos do ciclo quebra um equilíbrio dos hormônios e pode estar relacionado até com alguns problemas de infertilidade.

Ele também eleva o nível de cortisol, um hormônio ligado ao atraso menstrual. Além disso, está relacionado também ao aumento do fluxo, cólicas e desconfortos pré-menstruais.

 

 

 

 

Imagens: Unsplash

Fontes: Medical Daily, BBC, BBCNutrition & Dietetics Journal